Ruas de Roma | Itália | Spaghetti alla bolognese


Ora, depois do meu passeio pelo Vaticano lá me deu a fome, e comecei à procura de um dos restaurantes que eu já tinha em vista, pois tinha impresso a informação de alguns restaurantes que tinha pesquisado na Internet onde se podia comer um prato digno por volta de 5€, e um dos que me apareceu com feedback bastante positivo foi o Pasta Imperiale, e por acaso até nem era longe de onde eu estava, então lá me meti a caminho...


Os restaurantes pelas ruas têm as apresentações dos pratos assim, tornando as ruas ainda mais coloridas e bem bonitas :)




Nicola Spedalieri, nascido em Bronte, em 1740, era uma das personalidades mais famosas e importantes do seu tempo. Sacerdote e filósofo, mas também artista e cientista, era um espírito independente que escrevia sem medos e compromisso, pois não suportava a rígida hipocrisia e o fanatismo teológico do seu tempo. As contrariedades que viveu na Sicília, os inimigos e ódios de que era alvo fez com que abandonasse a ilha para sempre, mudando-se para Roma em 1773, onde viveu por mais de vinte anos. Sendo um grande filósofo, foi o autor da obra “De’ diritti dell’Uomo”, um livro sobre direitos humanos, sendo que foi o primeiro na Itália a falar sobre direitos humanos naturais e a proclamar a sacralidade dos princípios de igualdade e liberdade.

Morreu repentinamente em Roma em 1795, possivelmente envenenado por algum dos seus muitos inimigos. Cerca de quinze anos após a sua morte, em homenagem à sua memória, foi erguida uma estátua de bronze em Roma, a poucos passos do Vaticano, pelo escultor siciliano Mario Rutelli. A escrita na base do monumento diz: "Nova Itália para Nicola Spedalieri - MCMIII".

Era uma personalidade extraordinária: era contra qualquer forma de despotismo, queria aproximar a Igreja das ideias democráticas, a fim de criar uma sociedade civil na qual o homem pudesse satisfazer as suas necessidades de felicidade e perfeição. Nicola Spedalieri é uma figura eclética e carismática, cuja mensagem de liberdade civil ainda é actual. Um pensador moderno e às vezes inconformista, a quem Bronte, a cidade nas encostas do Etna, se orgulha de ter dado à luz e à base da sua maneira de pensar tão moderna e combativa.

A estátua dedicada ao abade Nicola Spedalieri está localizado na Piazza Sforza Cesarini, na Rione Ponte, Spedalieri está representado em roupas do século XVIII e segura na mão esquerda o volume "direitos humanos", que ele escreveu em 1791.

NUOVA ITALIA A NICOLA SPEDALIERI MCMIII.


É no Arquivo Histórico Capitolino que os últimos cinco séculos de memória da capital italiana estão guardados. A instituição recolhe toda a documentação produzida pela Administração do município desde o século 16 e principalmente até o século 20, entre mapas de zonas da cidade do final de 1800, figuras e desenhos de como Roma era através dos anos, projectos para a modificação das margens do rio Tibre, pedidos para variações estruturais de edifícios e documentos com os valores dos salários dos funcionários da Prefeitura junto aos seus nomes. Até 1922, todo este material era conservado no Campidoglio, sede da Prefeitura de Roma. Depois desse período, foi transferido para o complexo monumental do Oratório dei Filippini. No edifício, considerado um símbolo da arquitectura italiana do século 17, os documentos históricos ocupam todo o prédio.   




Comecei a chegar às ruas onde estão os restaurantes estilo "tasca" onde se come bem e barato! Aqui comecei a ver o que me interessava, onde se podia comer por 5€, mas continuei à procura da Via dei Coronari, onde estava o restaurante que eu queria.






Sim, eu sei, tenho o dedo à frente, mas a maior parte das vezes em que estou a fotografar, não estou a olhar para a câmara, estou a desfrutar de tudo à minha volta, sempre a andar, em movimento, enquanto me limito a carregar no botão na câmara para tirar fotos (sim, eu sei, grande fotografa que eu sou! (˃̣̣̥▽˂̣̣̥๑) ), até me admira como lá consigo tanta foto boa, mas é assim que eu gosto de fazer nos meus passeios, muitas vezes só quando estou a rever as fotos é que vejo coisas que nem tinha reparado no passeio! :P
Quando apanho alguma paisagem ou algo digno de registo, aí sim, paro e foco-me na fotografia... e tem-me servido bem este meu sistema :P




Adoro, adoro, ADORO! Sempre que me deparava com ruas assim dava-me aquele sentimento de estar mesmo a andar em Roma como via nos filmes!


Cheguei, finalmente!! 

A Via dei Coronari é uma rua no centro histórico de Roma. A estrada, ladeada por edifícios construídos principalmente nos séculos XV e XVI, pertence inteiramente à Ponte (rione de Roma) e é uma das estradas mais pitorescas da cidade antiga, mantendo o carácter de uma rua renascentista italiana.


Ora cá está! Tal e qual como tinha visto na net!


Estes frascos que podem ver em cima do balcão é o tipo de massa que podem escolher para o vosso prato.


Pequeno e pitoresco, não há aqui cerimónias nem mordomias, entramos, cumprimentamos e somos cumprimentados, dizemos o que queremos, escolhemos um lugar para sentar e esperamos pouco tempo pela comida que fazem ali na hora. Eu espreitei para a cozinha e vi a fazerem.





Ora, aqui fiquei algo espantada porque eu só gosto do spaghetti daquele mesmo fino, fino, fininho, quanto mais fininho melhor, tanto que não sou fã por aí além de massas, e para as comer só com algum tipo de molho, em seco só como se tiver mesmo de ser, por exemplo, não sou fã de talharim nem de esparguete, como este, que mais parecem atacadores dos sapatos!! E daqueles grossos dos dreads skater ou o raio, grossos e florescentes, caramba,... fez-me lembrar os atacadores brancos que eu usava quando andava na polícia do exército, que eram tão grossos que mal cabiam nos buracos das botas,... e foi precisamente esse tipo de esparguete que eu menos gosto que me meteram à frente... fiquei de coração partido... mas ... em Roma sê romano, certo? ᇂ_ᇂ

Ora, a primeira coisa que eu faço quando como fora é perguntar logo se o prato que eu escolho têm algum tipo de picante ou condimento similar, neste restaurante falavam um inglês muito fraco, e eu devia de ter aprendido como se fazia essa pergunta em italiano, lapso meu, mas perguntei em inglês e a moça, empregada de balcão a quem eu perguntei, garantiu que não, não tinha...

No entanto, quando meti à boca senti logo o travo picante e começou a arder-me a garganta, e perguntei novamente se tinha algum tipo de piripiri e disse explicitamente que eu sou alérgica ao picante - agora eu digo SEMPRE logo que sou alérgica quando pergunto se leva picante -, aí a atitude mudou logo e ela em vez de responder meio na dúvida foi logo perguntar ao cozinheiro que confirmou que sim, que leva condimentos picantes, piripiri nada mais (!!) houve um grande aparato - até tive um pouco de pena da moça, que levou um raspanete, teria mais pena se não fosse eu ter de me agarrar à minha medicação para a alergia, cheia de medo de me dar um choque anafilático ali num país estrangeiro, o que vale é que vou sempre preparada - pediram-me imensa desculpa e trocaram o prato por outro, cheguei a perguntar já que iam mudar se não tinham massa mais fina, mas pelos vistos a massa ali era assim, ou então de outras formas e mais grossas ainda! Não sei como são nos outros restaurantes em Roma, mas nos que espreitei deste tipo eram todos assim... (Φ ωΦ)


Toda a carne que tinham naquele dia estava temperada com picante, portanto fizeram-me uma bolognese só com tomate.... no dia de hoje em que escrevo isto até agradeço, sem querer fizeram-me ali um prato vegan, mas naquele dia, há quase dois anos atrás, cheia de fome, fiquei algo chateada por pagar 5€ por um prato de atacadores com tomate... mas estava bom, muito bem temperado, o tomate fresquinho, até se derretia na boca, azeite a dar com um pau, muito gostam de azeite em todo o lado, disso não haja dúvida, mas não fiquei fã do que podem ver na foto... (╯ᆺ╰๑) mas verdade seja dita, atacadores tão grossos e compridos, tiraram-me a fome toda...


Mantive o meu orçamento por refeição... não me deu nenhum ataque... fiquei sem fome... tudo ok para continuar o passeio!




Aqui, por volta desta altura, eu já me conseguia orientar pelas ruas sem o mapa, felizmente tenho um sentido de orientação incrível, e basta umas horas num sítio para me familiarizar com os locais e ruas, aqui foi quando deixei de andar à procura de locais específicos para visitar e me limitei a passear sem rumo nem destino, que é uma das coisas que mais amo fazer nestas viagens... ♥ヽ(ˆ⌣ˆ)ヾ e obviamente, como não podia deixar de ser, fazendo jus à ironia que é a minha vida, foi assim que descobri imensos locais que antes eu tinha andado especificamente à procura e não tinha encontrado e assim sem procurar encontrei, já fechados, fora de horas, claro, óbvio, pois não encontrei quando sabia que estavam abertos, mas é assim... 



Como foi o exemplo desta biblioteca, quando finalmente a encontrei, depois de ter andado horas à procura, pois queria mesmo desesperadamente visitar esta biblioteca, e dei com ela, fechada, quando já tinha desistido de procurar... (◔~◔)









A Biblioteca Vallicelliana é uma biblioteca em Roma, Itália. A biblioteca está localizada no complexo Oratorio dei Filippini, construído por Francesco Borromini, na Piazza della Chiesa Nuova. A biblioteca possui cerca de 130 000 volumes de manuscritos, incunábulos e livros.






Oratorio dei Filippini, conhecida também como Casa dei Filippini, é um convento localizado na Via della Chiesa Nuova, nos riones Ponte e Parione de Roma, de frente para a Piazza della Chiesa Nuova. O complexo engloba também a Chiesa Nuova, Biblioteca Vallicelliana e está delimitado pela Via dei Filippini, a Piazza dell'Orologio e a Via del Governo Vecchio. Obra de Francesco Borromini, foi construído entre 1637 e 1667 para a Congregação do Oratório, cujos conventos são chamados de "oratórios".



Eu queria encher aqui a minha garrafa, mas vi aquele sinal e não o fiz, com receio de que fosse água não potável ou algo, descobri mais tarde que afinal era uma aviso a indicar para não deitarem lixo para o chão. (˃̣̣̥▽˂̣̣̥๑) 


Portanto enchi de novo aqui, um pouco mais à frente.




Santa Maria della Pace ou Igreja de Santa Maria da Paz é uma igreja titular de Roma, Itália, localizada nos arredores da Piazza Navona.


A inscrição na arquitrave do pórtico é do Salmo 72: SUSCIPIANT MONTES PACEM POPULO ET COLLES IUSTITIAM («Os montes e os outeiros, em justiça, Produzam paz para o povo.» (Salmos 72:3)). Esta referência aos "montes" do brasão da família Chigi, de Alexandre VII, é, presumivelmente, uma alusão aos benefícios do seu pontificado. Temas com folhas de carvalho, outro emblema dos Chigi, também aparecem na fachada.











Palazzo Ruspoli é um palácio localizado na Via del Corso, no rione Campo Marzio de Roma, e pertencente à aristocrática família Ruspoli.

Na publicação seguinte vou mostrar-vos uma das igrejas mais bonitas que já visitei ;)

Alguns dos sites onde fui procurar informação histórica:
pt.wikipedia.org
www.rerumromanarum.com/2019/12/monumento-nicola-spedalieri.html

https://medium.com/blog-specialia/nicola-spedalieri-uno-dei-piu-grandi-figli-di-bronte-84d48ffaaa3

Sem comentários:

Publicar um comentário

★ Todos os comentários são muito importantes, são o que dão vida a este blog. Obrigada por comentar e assim fazer parte deste espaço! ★
↧↧ ↧↧ ↧↧
✉ Para receber a minha resposta, clique ✔ em Notificar-me ☑