20 de Março – Dia Mundial Sem Carne

Iniciativa lançada nos EUA em 1985 pela FARM (Farm Animal Reform Movement), o Dia Mundial Sem Carne é actualmente uma das maiores campanhas de sensibilização à dieta vegetariana realizada a nível mundial.
Neste dia, as pessoas são convidadas a fazer uma alimentação alternativa, à base de vegetais e frutas e sem a ingestão de qualquer tipo de carne ou peixe. 
Celebra a chegada da Primavera de uma forma diferente!

Vantagens de uma alimentação sem carne:
  • Diminui o colesterol, reduzindo assim o risco de desenvolver doenças cardíacas, como um ataque cardíaco ou aterosclerose;
  • Ajuda na prevenção do cancro, diabetes, obesidade e outras doenças crónicas;
  • Evita que os animais sejam capturados, enclausurados, torturados, drogados e abatidos de forma agonizante.
  • Preserva as fontes de produção de alimentos e água utilizadas na alimentação dos animais, permitindo assim alimentar a fome mundial;
  • Diminui a poluição gerada pela utilização de pesticidas e adubos e libertação de gás metano (produzido pela fermentação do adubo orgânico) e gás de amónia (produzido pelo excremento dos animais);
  • Aumenta o nosso nível de energia, tornamo-nos então mais felizes e saudáveis.

O que se pode fazer neste dia:
  • Convidar a família ou amigos para irem a um restaurante vegetariano;
  • Levar uns petiscos vegetarianos para o trabalho ou para a escola, para partilhares com os teus colegas (vê as receitas do Centro);
  • Distribuir folhetos do Centro Vegetariano (podes descarregar aqui);
  • Experimentar uma receita vegetariana.


O Centro Vegetariano sugere, por exemplo: 

As Bibliotecas e o Depósito Legal

Biblioteca Nacional de Portugal *foto online*
Ao tempo que ando para escrever este post, especialmente depois de visitar a Biblioteca de Braga, então encontrei um fantástico artigo de opinião no site Correio do Minho, e outras informações muito interessantes por ai perdidas na net, e aqui venho eu compilar essas informações, e dar a minha opinião pessoal sobre as bibliotecas e o Depósito Legal.

Opinião: Segredos de Lisboa | Raquel Policarpo | Inês Ribeiro

Vestígios arqueológicos surpreendentes sob as ruas da cidade
SINOPSE: Uma Lisboa desconhecida está à nossa espera num museu, num parque de estacionamento ou até numa improvável casa de banho pública no Largo da Sé. Passear pela Lisboa de hoje é caminhar sobre todo um passado desaparecido. Sob os nossos pés, debaixo de linhas de elétrico, ruas asfaltadas e túneis de metro, camadas e camadas de terra revelam histórias de quem por aqui passou, viveu e morreu. Contam momentos, eras, séculos de vivência de fenícios, romanos, muçulmanos, cristãos, uma imensidão de pessoas que nestas colinas deixou a sua marca. No Largo da Sé desça à casa de banho pública e depare-se com os vestígios de um prédio anterior ao terramoto de 1755. Na Rua da Prata, embrenhe-se nas galerias romanas e descubra o que resta do complexo subterrâneo de um antigo fórum romano. Na Igreja de Santo António, por entre portas e escadinhas, aceda ao subsolo por baixo do altar-mor, que é o local mais importante de toda a igreja, onde teve início a história do templo e do santo padroeiro de Lisboa. Inês Ribeiro e Raquel Policarpo guiam-nos por uma Lisboa repleta de segredos, através de vestígios arqueológicos que nos desvendam a cidade de outras eras e de outras gentes. Nestas páginas, alguns locais e momentos regressam à luz do dia e partilham o conhecimento de épocas e sítios que muitos desconhecem. Alguns deles desapareceram para sempre, mas outros ainda estão à espera de ser visitados.

Opinião: Templários | Edição: Clube do Autor | Canal História

SINOPSE: Tal como na série de televisão exibida no Canal de História, o livro Templários transporta o leitor até às origens da Ordem dos Templários, centrando-se na Península Ibérica, na Primeira e Segunda Cruzadas, e nos sucessos que, em finais do século XI e princípios do XII, proporcionaram uma nova mentalidade e a proliferação de um novo modelo: os monges guerreiros.
Rezar, lutar e obedecer. A oração e a guerra alicerçadas numa disciplina férrea foram os pilares que possibilitaram que a Ordem do Templo, a primeira ordem militar da história, atingisse o auge e se tornasse uma referência da Idade Média.
Como era a organização e o dia-a-dia destes cavaleiros? Qual foi o seu papel na Península Ibérica e influência na Reconquista? De que valiosas relíquias era composto o tesouro dos Templários? O que provocou a seu desaparecimento definitivo?
Estas são apenas algumas das questões abordadas nesta obra, baseada na série produzida integralmente em Espanha e em Portugal com o objetivo de cobrir a ampla presença dos cavaleiros da Ordem na Península Ibérica. São também exploradas as grandes batalhas e perseguições que tornaram famosa a Ordem, a origem de muitos dos seus mitos, a busca do conhecimento, a luz e os segredos mais obscuros dos Templários.

Opinião: Isto é Matemática | Rogério Martins | Tiago DaCunha Caetano

A série da SIC agora em livro
SINOPSE: Um programa de enorme sucesso da SIC, Isto É Matemática fica agora disponível em versão livro. É desta forma que Rogério Martins e Tiago DaCunha Caetano continuam o projecto de divulgar matemática de uma forma acessível, rigorosa e divertida: adaptaram e renovaram alguns dos melhores episódios das 11 temporadas da série televisiva ao formato escrito, que agora podem ser lidos por todos os que gostam de aprender sem espinhas matemática.
São 26 capítulos que desvendam outros tantos conceitos matemáticos, que nos ajudam a perceber melhor o mundo e o universo em que vivemos. Para os fãs da série e também para todos os que gostam de ciência e de rir, Isto É Matemática é um livro que vai dar muito gozo ler.

Opinião: Próximo destino | Carla Mota | Rui Pinto

SINOPSE: Todos os destinos podem ser à medida da sua carteira.
Com a ajuda dos autores do blogue Viajar entre Viagens, saiba como planear grandes viagens sem comprometer as suas finanças.
Próximo destino é um guia que lhe oferece as melhores sugestões e dicas sobre alojamento, refeições, transportes, vistos e atividades para 30 viagens inesquecíveis:
- 10 grandes viagens;
- 6 percursos na Natureza;
- 7 escapadinhas culturais;
- 7 destinos de praia.
Conheça destinos de sonho com um orçamento low-cost.

Opinião: A Odisseia do Espírito Santo | António Breda Carvalho

Vencedor do Prémio Literário Carlos de Oliveira atribuído pelo Município de Cantanhede. 
SINOPSE: Em 1758, João Pinto, lavrador letrado e curandeiro de S. Martinho de Vale de Bouro, concelho de Mondim de Basto, viajou para Vilarinho, lugar do mesmo concelho. Aí, a pedido de um seu moço de lavoura, deslocou-se a casa de Maria José, mulher que dizia estar possuída por um espírito.
É este o ponto de partida para a criação de uma heterodoxa congregação do Espírito Santo. O apostolado do lavrador João Pinto foi protagonista de ações heréticas que abalaram o concelho de Mondim de Basto. Terminou em 1759, com a intervenção do Santo Ofício.
A Odisseia do Espírito Santo foi a obra vencedora do V Prémio Literário Carlos de Oliveira e o júri fundamenta a sua decisão no facto de o livro possuir «um original dispositivo narrativo que faz com que a história seja contada na primeira pessoa alternadamente por todas as personagens, pela capacidade de efabulação e pela riqueza da linguagem, que oscila entre a reconstituição do léxico do século XVIII e o dos nossos dias».

Opinião: Coisas Que Nunca Aconteceriam em Tóquio | Alberto Torres Blandina

SINOPSE: Salvador Fuensanta é empregado de limpeza de um aeroporto e está às portas da reforma. Este lugar tão impessoal - onde trabalha há mais de vinte anos - e os milhares de pessoas desconhecidas que diariamente cruzam o seu posto vão desenvolver nele uma capacidade especial - a de modelar a realidade a seu gosto, recriando histórias e julgando adivinhar as vidas dos passageiros anónimos. Além disso, Fuensanta conhece muito bem as outras pessoas que trabalham no aeroporto: Sara, a camareira; Juana, a livreira; Pau, um artista inconformado que inventa um poeta finlandês para se tornar famoso e se apaixona por uma rapariga que sofre de amnésia em consequência de uma acidente aéreo.
Assim, este mundo cheio de conversas e histórias soltas, inacabadas, reais, inventadas, que se mesclam a um ritmo alucinante, vai-se transformando num relato de contornos invulgares, em que cada história oculta ou revela uma outra história.