Opinião: O Sabotador de Auschwitz | Colin Rushton

A história verdadeira e heróica do soldado inglês que esteve preso no campo da morte e assistiu de perto aos horrores nazis
SINOPSE: Em 1942, o militar inglês Arthur Dodd foi capturado pelos nazis e levado para Auschwitz. Determinado a resistir até à morte, sabotou o sistema eléctrico e as fábricas do campo, onde se produzia material de guerra e químicos, arriscou a vida para tentar aliviar o sofrimento dos judeus e juntou-se a um grupo para uma fuga em massa.

Este livro descreve-nos um dia-a-dia brutal num ambiente de hostilidade extrema e revela novos dados sobre Auschwitz, designadamente no que diz respeito à existência de soldados aliados entre os presos, aos objetivos económicos do complexo e as empresas que lá se instalaram, às razões pelas quais alguns prisioneiros sobreviveram, ao medo das SS por parte dos militares convencionais alemães ou, inclusivamente, ao conhecimento generalizado das câmaras de gás.

Outros sobreviventes que nunca tinham contado a sua história reforçam a autenticidade do testemunho de Arthur Dodd e fazem deste livro uma obra fundamental para conhecer um período terrível da história da Humanidade.

Quando penso que já li de tudo um pouco sobre o holocausto, que já vi vários documentários sobre o tema e já captei a sua complexidade no geral, aparecem livros como este que nos mostram o quão vasto esta genocídio foi e que não houve limites para as atrocidades nazis...

Mostra também que a humanidade no geral é uma criatura abominável, não sou por ter colocado estas acções em prática, como quem colaborou com elas, os traidores, como ainda quem nega estes acontecimentos... não basta haver quem negue que o holocausto judeu aconteceu, como negarem que havia prisioneiros de guerra em Auschwitz, neste caso prisioneiros de guerra britânicos, que o próprio governo britânico não sabia e de pouca ou nenhuma ajuda serviu, tanto durante como depois...

Claro que no meio destes humanos desumanos todos, há sempre os íntegros, justos, os que são verdadeiros exemplos de como a humanidade deveria de ser...  e Arthur é um desses humanos... que vida, que vida... este é um romance biográfico, extremamente honesto, ler desperta todo o tipo de sentimento em nós: dor, desespero, amor, empatia, incredibilidade, uma tristeza profunda, esperança, ....





Aprendi tanto com esta leitura, além de agora a história de Arthur viver em mim, a sua memória e a memória das pessoas com quem ele se cruzou, quem com ele estes dias negros viveram, a sua história agora faz parte da minha, o que eu aprendi com esta leitura serviu como peça de um puzzle que continuo a completar com estas leituras biográficas, e espero que toda a gente leia pelo menos um livro deste género, para que jamais esta nefasta história se torne a repetir.

👉🏻 Wook | Bertrand 👈🏻

Sem comentários:

Enviar um comentário

★ Todos os comentários são muito importantes, são o que dão vida a este blog. Obrigada por comentar e assim fazer parte deste espaço! ★
↧↧ ↧↧ ↧↧
✉ Para receber a minha resposta, clique ✔ em Notificar-me ☑