Opinião: Na terra dos animais falantes | Richard Zimler

Ilustração: Patrícia Figueiredo 

SINOPSE: Nuno acabou de perder a sua melhor amiga, Miss Marble. Certa manhã, o pai levou a cadela ao veterinário e regressou sozinho. Para o animar, os pais planeiam umas férias, mas quando as luzes se apagam o sono custa a chegar. Numa dessas noites, Nuno levanta-se da cama e vai até à varanda olhar as estrelas, que lhe parecem estranhamente reconfortantes. Um mocho vem pousar nas grades e conta-lhe como estes astros o guiam durante os seus voos, desvendando-lhe ainda os segredos desse outro mundo onde os animais falam. Quando o mocho o deixa, Nuno ouve uma voz chamá-lo do jardim em baixo. Assustado, debruça-se sobre as grades e…

E é então que começa a sua aventura na terra dos animais falantes, um sítio onde dodós, preguiças, esquilos e um bando de outras criaturas amigáveis lhe vão dando algumas respostas sobre a vida, a morte e tudo o que está pelo meio.


Que ilustrações lindas, adoro! Felizmente, já se começa a ver pelo mundo uma mudança de mentalidade relativamente aos direitos - e sentimentos - dos animais, não só os de companhia mas em geral. Não é à toa que me tornei vegan há já dois anos e já nem concebo a ideia de não o ser.

No entanto, no que toca à compreensão social sobre a dor de perder um animal de estimação, ainda há muito estigma e depreciação, pessoas que não conseguem compreender que perder um animal de estimação é MESMO como perder um membro da família, porque é o que ele É! 

Não é um sapato, não é uma manta, não é um pão, é um ser senciente, que nos ama incondicionalmente - muito mais do que muita gente, e em muitos casos mais do que pessoas da própria família - que nos faz tanta companhia, que nos consola nos momentos tristes, que fica feliz com a nossa felicidade, que nos compreendem, muitas vezes, como mais ninguém....




Por isso, espero que continuem a surgir mais livros deste género, livros sobre a dor de perder um animal de companhia, tanto para crianças como também para adultos!

A história é bonita, muito moderna e introspectiva, mas não apreciei propriamente da tradução/revisão, talvez seja eu a implicar com o novo acordo, não sei, mas não senti fluidez de escrita, especialmente nas partes com maior narrativa e diálogo...

É uma história original em dois sentidos:
- Fala sobre a perda de um animal de estimação na perspectiva de uma criança
- Está escrito de uma forma muito actual, com as novas tecnologias e redes sociais a que as crianças de agora têm acesso, ou seja, vão identificar-se e divertir-se muito bom esta aventura.

Esta história é, acima de tudo: uma história que dá força e coragem, que nos faz sentir compreendidos nesta dor tão sufocante que é perder o nosso amigo de estimação.

👉🏻 Wook | Bertrand 👈🏻

Sem comentários:

Enviar um comentário

★ Todos os comentários são muito importantes, são o que dão vida a este blog. Obrigada por comentar e assim fazer parte deste espaço! ★
↧↧ ↧↧ ↧↧
✉ Para receber a minha resposta, clique ✔ em Notificar-me ☑