Opinião: A Mala de Hana - Uma História Verdadeira | Karen Levine

SINOPSE: A Mala de Hana é um retrato singelo que mostra a crueldade a que eram sujeitas as crianças judias submetidas ao Holocausto. Conta a história de vida de Hana e da sua família na Checoslováquia, nas décadas de 1930 e 1940, e quase setenta anos depois, a história de Fumiko Ishioka, coordenadora do Centro do Holocausto de Tóquio, no Japão e finalmente quando todas as peças da história se juntam quando descobre o irmão sobrevivente de Hana, George, no Canadá que assim ajuda a completar a história. Este é um relato incrível que vai sensibilizar todos os leitores sobre os horrores que atingiram Hana, a família e milhões de Judeus e outros inocentes.

Este é um livro sobre o holocausto, escrito de uma forma leve mas assertiva, direccionado especialmente para o público mais jovem, para dar os primeiros passos na leitura sobre este tema é do melhor que há além do clássico «O Diário de Anne Frank», mesmo para adultos que queriam ler sobre o tema, mas achem os outros livros sobre o tema muito violentos, este é excelente para começar, não suaviza os acontecimentos, mas é escrito de uma forma muito humana, juvenil e simples. 

Até eu que já li de tudo um pouco sobre este tema, do mais leve ao mais brutal, apreciei e aprendi com esta leitura, para mim o holocausto é algo tão presente, foi matéria na escola, fiz trabalhos sobre isto, cheguei mesmo a ler o brutal livro Holocausto de Gerald Green quando tinha uns 12 anos e a partir daí esta realidade é uma presença quase física na minha vida, custa-me tanto, tanto, tanto saber que há tanta gente neste mundo que não tem o mínimo conhecimento sobre esta parte da nossa história, e pior do que isso são os que o negam! Como é possível?

Até no Japão, que sofreram horrores com os ataques nucleares durante esta mesma guerra, e além do que os seus militares fizeram aos prisioneiros de guerra que é bem sabido, até o inferno dos kamikaze, e nem eles estão a par desta parte horripilante da história? Como nós estamos com a história deles? Não faz parte da sua educação escolar? Porquê? Talvez por já terem sofrimento suficiente com que se ocupar? Não sei... Só sei que há muitas crianças japonesas que nunca ouviram falar de tal acontecimento, sem falar de tantas outras - e adultos! - pelo mundo que nunca ouviram falar do holocausto judeu...




Então, a fabulosa Fumiko Ishioka - coordenadora de um pequeno museu Centro do Holocausto de Tóquio e fundadora do grupo «Pequenas Asas», composto por crianças dos oito aos dezoito anos que se reúnem todos os meses e publicam um boletim informativo sobre o holocausto e ajudam a dirigir o Holocaust Education Center de Tóquio e trabalham para despertar em outras crianças japonesas o interesse pela história do holocausto - começou a arranjar formas de suscitar a curiosidade natural das crianças para esta temática com actividades e especialmente objectos históricos relacionados com o tema, e assim conseguiu que o museu de Auschwitz lhe concedesse alguns itens, entre eles um camisola, sapato, meia de criança, uma alta de gás venenoso e uma mala... a mala de Hana... e quem tinha sido Hana? Assim, Fumiko partiu à descoberta e não desistiu até saber tudo sobre a dona daquela mala, e assim começa esta incrível história - um magnifico livro que custa apenas 2,50€!

Um fabuloso resgate à história de vida de Hana Brady e uma incrível homenagem à sua memória e a de todos os outros como ela que por foram submetidos a esta monstruosa parte da história da humanidade, e a tantas outras histórias que ficaram perdidas ou ainda não foram resgatadas, vamos fazer a nossa parte ao nos informarmos sobre as suas histórias, para que a história não fique esquecida, e assim as suas memórias fiquem para sempre gravados em nós.

👉🏻 Wook | Bertrand 👈🏻

2 comentários:

★ Todos os comentários são muito importantes, são o que dão vida a este blog. Obrigada por comentar e assim fazer parte deste espaço! ★
↧↧ ↧↧ ↧↧
✉ Para receber a minha resposta, clique ✔ em Notificar-me ☑

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.