Opinião: Do Lado de Canaã | Sebastian Barry

Finalista do Booker Prize
SINOPSE: Contada na primeira pessoa, numa narrativa da vida da protagonista ao longo de dezassete dias, esta é a comovente história de uma mulher com uma enorme capacidade para amar e com uma espantosa compaixão, mesmo por aqueles que lhe fizeram mal. Sebastian Barry regressa com a extraordinária história de Lilly Bere. Obrigada a fugir da Irlanda com o noivo ainda adolescente, sob ameaça de morte pelo Exército Republicano, Lilly vê-se subitamente na América. A sua vida trágica e rica leva-a de Chicago, onde o noivo é brutalmente assassinado, para Cleveland, onde se casa e descobre a felicidade mesmo durante o período da Grande Depressão e da Segunda Guerra Mundial. Alegremente grávida aos quarenta e três anos, Lilly muda-se para Washington, DC, depois do misterioso desaparecimento do marido, e aí encontra trabalho como cozinheira para uma das mais eminentes famílias americanas, os Kennedy. Lilly acompanha a família até Bridgehampton, onde cria filho, Ed, que aos dezoito anos é chamado para combater no Vietname e desaparece quando regressa a casa. O senhor Nolan, um amigo chegado, é enviado à sua procura mas regressa não com Ed, mas com o filho dele, Bill, que Lilly irá criar e amar até que a tragédia lhes bate à porta.


Este é um drama histórico profundamente lírico, por vezes até demais para o meu gosto, eu gosto de narrativas mais assertivas e directas, esta narrativa por vezes torna-se exageradamente poética, mas é uma boa forma de estimular novos gostos literários e sair da minha zona de conforto.
Gostei da leitura no seu todo, carregada de todo o tipo de drama - histórico, social, familiar, amoroso, pessoal, ... - é uma leitura muito rica a nível histórico, é a narrativa é contada na primeira pessoa por Lilly, uma irlandesa que teve de emigrar para a os Estados Unidos da América, sendo que tinha o IRA (Exército Republicano Irlandês que luraram contra a influência britânica na irlanda), atrás de si e do seu companheiro, procurados com o intuito de serem executados.

Vivemos então, durante a leitura, logo no início, a tensão do pós-Primeira Guerra Mundial e a Guerra de Independência da Irlanda, depois uma fuga para os EUA onde Lilly se vai deparar com a pobreza, miséria e segregação racial, algo que nunca antes tinha feito parte da sua confortável vida na Irlanda, e ainda passamos também pela Grande Depressão e pela Segunda Guerra Mundial e a Guerra do Iraque vai também ter profunda influência na vida de Lilly, além de outros marcos históricos da história dos EUA, como a Guerra do Vietname, ... as voltas e reviravoltas da vida de Lilly são incríveis, se não fosse a componente lírica, poderia ser um livro da Lesley Pearse, pois é um drama histórico profundo e complexo em que a personagem feminina é extremamente desenrascada e passa por todo o tipo de desgraças.





E assim somos arrebatados pelas memórias de vida de uma idosa que passou por tanto durante toda a sua vida e finalmente quando pensou que poderia gozar os seus anos de reforma, uma nova tragédia lhe bate à porta, e novas revelações são descobertas.

Uma leitura viciante!
👉🏻 Wook | Bertrand 👈🏻

Sem comentários:

Publicar um comentário

★ Todos os comentários são muito importantes, são o que dão vida a este blog. Obrigada por comentar e assim fazer parte deste espaço! ★
↧↧ ↧↧ ↧↧
✉ Para receber a minha resposta, clique ✔ em Notificar-me ☑