Opinião: O Homem que Tentou Matar Hitler | Helmut Ortner

A história secreta do carpinteiro que quase mudou o curso da história

Munique em 1939. Adivinha-se a Segunda Guerra Mundial. Um plano audacioso pode salvar a Europa da destruição.
SINOPSE: O Homem Que Tentou Matar Hitler é uma história poderosa e emocionante que transporta o leitor até aos dias sombrios da Alemanha às portas da Segunda Guerra Mundial. Narra a tentativa de assassinato de Hitler no dia 8 de novembro de 1939 e tudo o que a envolveu.
O homem que ousou executá-la, Georg Elser, tinha as qualidades de um verdadeiro herói e pôs a sua coragem e uma particular determinação ao serviço de princípios humanos. Figuras como Elser tendem a tornar-se lendárias. Esta é a sua história.
Uma história secreta da Segunda Guerra Mundial
Georg Elser era um cidadão normal, um dos milhares de alemães que olhava com preocupação a ascensão do nazismo e a escalada de violência e destruição. A conformidade e o entusiasmo ante a histeria nacional não faziam parte do seu feitio. Tudo isso, a par da sua oposição política, do sentido de justiça e de um carácter vincado, lhe concedeu a energia para planear durante mais de um ano - com extremo cuidado e um firme sentido da meticulosidade -, um atentado contra Hitler.
Aproveitou as artes do seu ofício para trabalhar na criação e montagem da sua própria bomba. Todas as noites, fugia para a cervejaria Bürgerbräu, em Munique, onde montou o engenho com que planeava matar o ditador. Na noite de 8 de novembro, enquanto Hitler proferia o seu discurso perante uma plateia entusiasmada, a bomba de Elser detonou com sucesso. Escondida numa coluna junto do pódio do orador, a detonação matou oito pessoas. Hitler não foi uma delas.
Esta é a história completa dos acontecimentos que motivaram Georg Elser e do que aconteceu após o atentado. Elser foi um homem de ideias próprias, com sentido de justiça e coragem, que se viu rodeado de um oceano de cobardia. A sua é a história de um homem simples que se opôs ao sistema de terror nazi - e que optou pela ação.
Georg Elser é uma das personalidades mais admiráveis e menos conhecidas da história do século XX


Este livro, apesar de ser uma narrativa histórica, está escrito de uma forma tão fluída e simples de ler como se de um romance se tratasse, de facto, no meio das transcrições dos interrogatórios e narrativas históricas, o autor constrói alguma ficção no que se refere a aspectos da vida familiar e íntima de Georg Elser, com diálogos e manifestações de pensamentos e sentimentos.

Está escrito de uma forma tão íntima, que conforme fui avançando na leitura sentia cada vez mais que conhecia pessoalmente o Georg, senti tudo de uma forma muito intensa, apesar de já tudo ter acontecido, conforme avançava na história o meu coração apertava-se de medo, ansiedade, e cheguei mesmo a rezar para que ele fosse bem sucedido, como se estivesse a ver uma repetição de um jogo de futebol, e apesar de saber o desfecho não resistir a torcer pela minha equipa...
Ele esteve tão perto de conseguir, tão perto, tão ridiculamente perto, que até tenho o coração desfeito ao tomar conhecimento desta parte da história... não faço a mais pequena ideia de como teria sido se ele tivesse conseguido levar a sua avante, e se Hitler tivesse morrido antes de provocar a II Guerra Mundial? Nada daquilo teria acontecido? O Holocausto teria sido evitado? Milhões de vidas poupadas? Quem o fosse substituir - porque apesar de tudo, o Hitler foi um fantoche às mãos de muitos - teria sido pior? Melhor? O exponencial acréscimo do feminismo e direitos das mulheres teria evoluído como evoluiu após o seu contributo nesta guerra? Sendo que substituíram os homens em quase tudo - até como militares, espias, membros da resistência, trabalho em fábricas de munições, transportes públicos, distribuição postal, e muito, muito mais - pois a luta das sufragistas ganhou um peso tremendo após a guerra. Houve retrocessos, injustiças brutais e faltas de agradecimento, mas também muita evolução, especialmente em determinados países que lhes ganhou renovado respeito e atribuição de direitos...
Quem odiava os judeus passou a - nem que seja através da pena - vê-los como os humanos que são, tal como os outros? Esse ódio histórico pelo judaísmo ultrapassa-me e não compreendo...
Será que das milhões de pessoas que morreram, morreram pessoas que teriam elevado a humanidade? Ou morreram pessoas que se tivessem sobrevivido, seriam monstros ainda piores do que o Hitler e os seus partidários?
Uma única pessoa, George Elser podia ter mudado a história do mundo... só ele, sozinho, sem mais ninguém, não foi um plano de generais, nem dos aliados, nem da resistência - como mais tarde houveram outros atentados planeados em grupo - aqui foi uma única pessoa, que ainda por cima não se dedicava à política por aí além, de facto, se o tivesse feito, e lesse as notícias dos jornais religiosamente, tudo teria sido diferente... no entanto era muito inteligente, e ao contrário de muitos - demasiados - que se deixaram seduzir pela falsa propaganda nazi, ele viu onde tudo aquilo iria chegar - a uma nova guerra mundial - e sozinho tentou travar o rumo que a história estava a seguir... e foi por um azar dos diabos que não conseguiu...

Uma leitura fascinante.

👉🏻 Wook | Bertrand 👈🏻

8 comentários:

  1. Adorava ler este livro, mais uma história verídica de um período tão cruel da humanidade :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Está aqui um livro com uma pesquisa fabulosamente conseguida! :)

      Eliminar
  2. Quero muito ler este livro, pela tua review parece mesmo muito bom!
    Enquanto lia o que escreveste, lembrei-me de um filme de 2008, Valquíria, com o actor Tom Cruise no papel principal, no qual o seu objectivo era assassinar o Hitler. Se ainda não viste, aconselho ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda não vi esse filme - não sou nada fã do Tom Cruise - mas hei de ver um dia, talvez, se bem que agora há documentários e se calhar vou mais por essa via... :P

      Eliminar
  3. Este é um livro que gostava muito de ler. Embora já tenha lido/visto algumas referências a tentativas de matar Hitler, não conheço esta história em particular.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também não conhecia, com este livro ficamos a conhecer a história toda ao mais ínfimo pormenor :)
      )

      Eliminar
  4. Todos estes acontecimentos ligados ao Nacional-Socialismo e ascensão dos Nazis ao poder, são verdadeiramente históricos.
    Nestes últimos tempos tem surgido muita literatura associada a esta ascensão e sobretudo ao Holocausto. Nem tudo é verídico e por vezes é algo romanceado, para vender.
    Não me parece ser o caso deste livro.
    Boas leituras. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Neste caso o livro é uma narrativa fiel e verídica dos acontecimentos, o autor só toma liberdade no que aos sentimento e pensamentos de Elser diz respeito para criar uma narrativa mais envolvente e não brutalmente técnica, está aqui um excelente trabalho :)

      Eliminar

★ Todos os comentários são muito importantes, são o que dão vida a este blog. Obrigada por comentar e assim fazer parte deste espaço! ★
↧↧ ↧↧ ↧↧
✉ Para receber a minha resposta, clique ✔ em Notificar-me ☑