Opinião: A Morte do Papa | Nuno Nepomuceno

Eleito num conclave surpreendente. Encontrado morto 33 dias depois.
SINOPSE: Uma freira e dois cardeais encontram o corpo sem vida do Papa sentado na cama, com as mangas da roupa destruídas, os óculos no rosto e um livro nas mãos. O mundo reage com choque, sobretudo, quando Pedro, um delator em parte incerta, regressa à ribalta e contraria a versão oficial. Porém, tudo muda quando imagens de um escritor famoso vêm à tona, colocando-o na cena do crime.
Enquanto as dúvidas se instalam, um jornalista dedica-se à investigação do desaparecimento de uma adolescente. Mas eis que um recado é deixado na redação da Radio Vaticana. Com a ajuda de um professor universitário e da sua intrépida esposa, os três lançam-se numa demanda chocante pela verdade. O corpo da jovem está no local para onde aponta o anjo.
Pleno de reviravoltas e volte-faces surpreendentes, intimista e apaixonante, inspirado em factos reais, A Morte do Papa conduz-nos até um dos maiores mistérios da história da Igreja Católica, a morte de João Paulo I. Tendo como base os cenários únicos da Cidade do Vaticano, este é um thriller religioso arrebatador, de leitura compulsiva, e igualmente uma incursão perturbadora num mundo onde a ambição humana desafia o poder de Deus.

O autor está a crescer imenso a cada livro que vai publicando, seja a nível de fluência de escrita como de exposição de temas pertinentes, especialmente temas tabu, de riqueza em factos históricos e verídicos, logo no ínicio da leitura fiquei sobremaneira surpreendida com a coragem e crueza com que o autor expôs a prostituição homossexual no Vaticano, algo que me deixou fascinada pois nunca tinha lido nada do género vindo de um autor português, e todo o enredo é assim, cru e directo, talvez haja quem considere atrevido e chocante, e eu acho incrivelmente fascinante e corajoso.


Não sou religiosa de forma alguma, estou entre o ateísmo e o agnosticismo, não acredito nem confio em religião nenhuma, são todas ferramentas de manipulação, controlo e extorsão em massa, só tem servido para trazer guerras e desgraças à humanidade, mas compreendo a importância da fé e da crença, mesmo que não passe de uma questão psicológica, faz falta a muita gente, como em tudo pode ser usado para o bem e para o mal, - e apesar se destacar mais para o mal - também tem algum bem associado, e respeito as crenças, desde que não interfiram com os direitos dos outros.... Até eu em momentos de absoluta tristeza ou euforia por vezes dou por mim a implorar ou a agradecer aos céus, e a sentir conforto nesses apelos e agradecimentos... 


Uma das coisas que mais gosto na leitura de livros de autores nacionais, são quando se passam em Portugal, pois consigo situar a narrativa como se estivesse a ver um filme, especialmente em locais que eu conheça pessoalmente, e sendo que eu já viajei por Londres e Roma e conheço bem os locais em Lisboa mencionados, a intensidade da leitura é incrível! Viajar abre-nos as portas a novas intensidades.

Também é incrível tudo o que se passa desde as origens no Vaticano, toda a história, exposta e oculta, e no entanto continuar a ser uma força política tremenda, ... eis uma leitura intensa, com drama, romance, alegria, tristeza, viagens, mistério, suspense, traição, ganância, amizade e amor.

👉🏻 Wook | Bertrand 👈🏻

Sem comentários:

Publicar um comentário

★ Todos os comentários são muito importantes, são o que dão vida a este blog. Obrigada por comentar e assim fazer parte deste espaço! ★
↧↧ ↧↧ ↧↧
✉ Para receber a minha resposta, clique ✔ em Notificar-me ☑