Opinião: O diário de Rutka de Rutka Laskier

SINOPSE: «Mal posso acreditar que estamos já em 1943, é o quarto ano deste inferno (…) Se pudesse dizer: acabou, só se morre uma vez… Mas não posso, porque apesar de todos os horrores, queremos viver, esperar por amanhã.»Rutka Laskier
«Os polacos apelidaram Rutka de "a Anne Frank polaca", a cidade de Bedzin glorifica a sua memória e eu observo o cenário do assassinato da minha família, da minha irmã, e sinto a dor da missão que aceitei de modo a satisfazer o seu desejo e fazê-lo com honra e amor.»Zahava (Laskier) Scherz


«Os polacos apelidaram Rutka de "a Anne Frank polaca"», sem dúvida, a essência está lá, mas, infelizmente, o que sobrou do diário é muito pouco, quase nada, não chega a umas 20 páginas, a maior parte deste livro são relatos de pessoas que a conheceram e fotografias, se não fosse por isso tenho a certeza de que Rutka seria tão famosa quanto Anne Frank.


Ao ler, fiquei com uma vontade enorme de saber mais sobre ela, há certas entradas no diário que não passam de uma linha, e muitas vezes incoerente e confusa, apesar de se notar um tom muito infantil e típico da adolescência por um lado, por outro nota-se bem uma maturidade vincada para os assuntos mais sérios, do que escreveu sobre o que via e vivia no gueto - muito pouco, sendo que se debruça mais sobre as suas crises adolescentes, birras de amigos e amores - os relatos brutais de cenas a que assiste são incrivelmente chocantes, e mais chocante é a forma desligada com que ela narra esses acontecimentos, como se já fosse algo banal, por exemplo, ver pegarem num bebé e esmagá-lo contra uma parede!



Mesmo assim considero que é uma leitura importante, pelo menos no contexto de homenagem, ler as suas palavras que foram escritas durante aqueles momentos horríveis da história, até me arrepia imaginar quantos diários como este estão perdidos, escondidos ou pior, que tenham sido destruídos, pois são mais uma prova, enorme, desta parte horrorosa da nossa história, que ainda tantos, incrivelmente, não conhecem ou se recusam em acreditar e aqueles que chegam mesmo a negar o que aconteceu...

👉🏻 Wook | Bertrand 👈🏻

2 comentários:

  1. Também já li, pequenino, mais fotos que história...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É tão importante ler estes testemunhos, escritos pelas mãos de quem lá esteve, especialmente na própria época dos acontecimentos, pena haver tão poucos, tantos se terem perdido... :(

      Eliminar

★ Todos os comentários são muito importantes, são o que dão vida a este blog. Obrigada por comentar e assim fazer parte deste espaço! ★
↧↧ ↧↧ ↧↧
✉ Para receber a minha resposta, clique ✔ em Notificar-me ☑