Opinião Série Documental: Making a Murderer | Netflix

SINOPSE: Filmado durante 13 anos, este thriller da vida real segue a história sem precedentes de dois homens acusados de um crime arrepiante que poderão não ter cometido.

Ainda estou com a cabeça feita em água com esta série documental... perdi muitas horas de sono com isto, pois havia alturas em que eu já estava tão cansada, tão saturada de tanta injustiça gritante, com tanta corrupção, com tantas revelações que só queria desligar-me disto e ver algo mais leve, mas não conseguia, estava completamente viciada...

Vi as duas temporadas em pouco mais de dois dias! Cada temporada têm 10 episódios, são duas temporadas e cada episódio tem 60 minutos ou mais! 

Para quem gosta de séries de crimes, tipo CSI, Lei e Ordem e equivalentes, isto é morbidamente o melhor que há, pois não só é melhor do que qualquer uma dessas séries como é tudo verídico! Tudo aconteceu e muito ainda está a acontecer!! Neste preciso momento em que eu escrevo isto, esta história ainda está a desenrolar-se na vida real, quem quiser pode entrar em contacto com os protagonistas, por carta ou redes sociais!

Mórbido, mórbido, mórbido... como é possível na terra da "liberdade" ser onde há mais pessoas presas no mundo? Onde é possível na terra da "lei e ordem" a corrupção ser tão visível, tão gritante, tão esparramada à frente de toda a gente e em vez de se corrigirem ainda metem mais corrupção por cima, descaradamente?!!!

Como é possível, por pura embirrância policial, uma pessoa ser presa sendo inocente, havendo provas descaradas da sua inocência, ficar preso 18 anos, ser exonerado e enquanto decorre o julgamento por má conduta por parte das forças policiais e estado, ele volta a ser preso, acusado de algo que não fez, que se vê bem que ele está a ser incriminado, e mesmo com todas as provas forenses a provar a sua inocência, CONTINUA PRESO?! COMO??!!

Ainda nos queixamos da nossa injustiça e corrupção, e temos muita, mas porra (!!) nesse sentido a nossa lei está muito mais justa do que as leis dos Estados Unidos da América, que disso não haja dúvida! De facto, a nossa lei até liberta é demasiadas pessoas, investe mais nas multas, temos muitos que são libertados e aprisionados várias vezes, temos uma lei algo "mansa", mas na América com mais de 2 milhões (!!) de prisioneiros, li que há uma estimativa de que 90 mil sejam inocentes!

E estragam assim a vida das pessoas, e muitas crianças (!!) entre 12 e 16 anos, injustamente! Tenho visto na última semana várias séries documentais sobre esta questão da corrupção na polícia, comecei por ver documentários sobre brutalidade policial e racismo e acabou por me levar para a corrupção policial, para o Innocence Project, nem sei se existe em Portugal, tentei pesquisar e só me aparece isto, mas se houvesse eu adorava fazer parte de alguma forma, pois eu digo-vos uma coisa: eu não sou dada a paranóias e gosto pouco da mania da perseguição, mas houve uma altura em que eu até comecei a ficar com medo, verdadeiramente com medo, de um dia me cruzar com um policia que embirre comigo, já me acusaram de coisas que eu não fiz e só eu sei como fiquei revoltada, e se me tirassem anos de vida, me enfiassem na cadeia por algo que eu não fiz? E a nossa reputação, que nunca mais vai ser a mesma? As famílias que são destruídas por casos destes? E sofrer ataques dentro da cadeia? Nos Estados Unidos da América, existem estados em que ex-reclusos ficam privados do direito ao voto! Entre outros direitos e regalias que a partir daquele momento nunca mais recuperam! Existem milhares que se acusam como culpados só para poderem voltar a ter liberdade pois sendo vítimas de injustiça perdem a esperança que a justiça seja feita...

E se alguém que embirre comigo me acusar de me ter visto na cena de um crime? Quando, por exemplo, poderia eu estar muito bem deitada em casa a ler ou a ver documentários na Netflix, mas não tinha ninguém para me dar álibi, e por isso me metessem na cena do crime? E se ao encarcerarem tantos inocentes, haver o mesmo número de culpados À SOLTA NAS RUAS e algum me entrar em casa? Quando dei por mim comecei mesmo a ficar algo paranóica com isto!

Cheguei a sentir, estando sozinha em casa, que alguém por cá se mexia e me espiava! Nunca tal me tinha acontecido - não ajudou um dos meus gatos também ter levantado a cabeça de repente e ter ficado a olhar para onde eu estava a olhar onde me parecia sentir movimento...
Depois de revistar a casa e ver se estava tudo bem fechado e seguro, meti a série na pausa, fui brincar com os meus gatos, ver uns vídeos para rir e meter a cabeça em ordem, pois não sou destas cenas, mas esta série documental mexeu comigo, e não ajudou o facto de eu já andar a ver há vários dias outros documentários deste género, afectou-me mesmo...

Quando senti que tinha os pensamentos mais organizados, fui ao facebook ver o que lá havia sobre o Steven Avery e está tudo ali! Notícias, noticiários, grupos, perfis, tudo ali exposto... podemos falar com eles!

No entanto, este é o sentimento e a crença que EU tenho, na série documental vemos a perspectiva de todos, da defesa e da acusação e todos os que estão ligados aos casos, achar que são culpados ou inocentes será uma crença pessoal de cada um, NÃO deveria de ser a crença da justiça, com todas aquelas provas (!!) mas esta série documental faz de nós júris, e se eu fosse júri neste caso o meu parecer seria: INOCENTES!


Sem comentários:

Publicar um comentário

★ Todos os comentários são muito importantes, são o que dão vida a este blog. Obrigada por comentar e assim fazer parte deste espaço! ★
↧↧ ↧↧ ↧↧
✉ Para receber a minha resposta, clique ✔ em Notificar-me ☑