Visita à Livraria Lello | Porto | À entrada


2018 foi o ano em que mais viajei, saudades desses tempos, mas estes novos tempos têm servido para meter esses em dia e recordar, muito... Esta foi a primeira vez que visitei a Livraria Lello, no Porto.




Antes de entrarmos na livraria, temos de fazer o Check In pela loja que está ao lado, conseguem ver logo onde é pois está sinalizado.


Esta é a montra da loja que entramos para comprar o bilhete.





Nos tempos em que estávamos entre a multidão sem grandes receios...






Os Funko POP! São bonecos cabeçudos, dentro de caixas, que podem valer mais do que um ordenado mínimo. Criados em 2010, os Funko Pop! são o “fenómeno de coleccionismo” pop do momento.



Também fui das que acreditava na história que ligava a Lello ao Harry Potter, mas conforme a nova polémica, sabemos que não é bem assim, no entanto não é por isso que guardo ressentimentos nem com um nem com outro, adoro ter o mundo do Harry Potter em todo o lado! ( ❤ω❤ )




Existem estes cacifos para guardar as nossas coisas, a mim deu-me jeito para guardar a mochila e as tralhas que andam sempre comigo nos meus passeios, e assim poder ir leve e de mãos livres para tirar fotos e curtir a visita. Nas minhas viagens ando sempre com trocos para estes casos ou outros, lojas ou transportes que não aceitem cartão. Aqui basta meter 1€ que depois no final nos é devolvido.



E ali é a caixa onde compramos o bilhete para entrar...






Adorei o pormenor de nas costas das cadeiras estarem gravados nomes de autores...









Depois é sair e dar a volta ao prédio para ir para a fila da entrada da livraria...




Aqui está a fila... não esperei nem dez minutos para entrar, já li casos de pessoas que tiveram de esperar horas, o problema é que lá dentro é (ou era) muita gente ao mesmo tempo, devia de haver um limite de x de pessoas ao mesmo tempo lá dentro, para podermos apreciar a visita à vontade, e até mesmo poder ver os livros à vontade, sem ter montes de gente encostados a nós ou à nossa frente, porque da forma como estava quando a visitei, para mim que nunca fui dada a multidões foi algo stressante... nem que se crie um sistema de hora marcada ou assim, com o já se faz em tantos monumentos, em que se compra o bilhete online com tudo planeado para evitar filas e hora/data marcados...


«O edifício da Livraria Lello foi construído em 1906, pelo engenheiro Xavier Esteves. Tinha um gosto particular pela literatura, e essa afinidade com as letras ficou para sempre marcada pela construção desta que é uma das livrarias mais emblemáticas do mundo.
É célebre a colorida fachada neogótica, com os conhecidos painéis simbolistas que representam as figuras da Arte e da Ciência, da autoria de José Bielman.»


«A livraria Lello é uma livraria do seu tempo desde 1906. Hoje transporta consigo mais de um século de património, que está embebido no espaço arquitectónico e no saber livreiro que fazem parte da experiência de quem visita esta casa. As origens da Livraria Lello remontam a 1881, quando os irmãos José e António Lello abriram, no Porto, um estabelecimento dedicado ao comércio e edição de livros. José Lello, homem de cultura, amante de leitura, dos livros e da música, sonhava tornar-se livreiro, o que se concretizou em 1881. Alguns anos mais tarde, constituiu sociedade com o seu irmão António Lello.

Nessa altura, os irmãos Lello estabelecem-se na Rua do Almada, desconhecendo ainda que o edifício que levaria o seu nome até ao próximo milénio se encontrava a poucos quarteirões. É em 1894, que José Lello compra a Livraria Chardron, juntamente com todo o seu espólio. A Livraria Chardron tinha feito o seu nome pela mão do francês Ernestro Chardron, tendo publicado as primeiras edições de obras sonantes como as de Eça de Queirós ou de Camilo Castelo Branco.»


Nesta foto apanhei a senhora do anúncio da "Ferrero Rocher" «Ambrósio... apetecia-me tomar algo...» (๑˃́ꇴ˂̀)














As escadas estavam sempre cheias de pessoas...







«Do interior da Livraria Lello, é impossível não apreciar o imponente teto. Este teto ilude quem o aprecia, pois o que parece madeira talhada é, na realidade, gesso pintado, técnica que foi também utilizada nos ornamentos da escada.

No piso superior, destacam-se os apontamentos Art Déco nas paredes e nas colunas que se erguem desde o piso inferior.»





«No dia 13 de janeiro de 1906 é inaugurado o edifício da Livraria Lello como hoje o conhecemos, moldado pela visão sumptuosa do engenheiro Francisco Xavier Esteves. A inauguração decorre num ambiente repleto de figuras políticas de relevo, vultos artísticos, destacados burgueses e comerciantes da cidade, entre os quais se destaca o escritor Guerra Junqueiro, o diretor de O Comércio, Bento Carqueja, o escritor Júlio Brandão e Aurélio Paz dos Reis, percursor do cinema em Portugal.»





«O crescente fluxo turístico ao longo dos últimos anos na cidade do Porto, e consequentemente, na Livraria Lello, obrigou a uma nova organização da visita ao edifício, com a introdução em 2015 do voucher descontável em livros. No entanto, esta nova organização não afastou a casa da sua verdadeira essência: uma livraria do mundo no Porto, aberta a todos os amantes de literatura. Em 2016 e 2017, a Livraria Lello assumiu o desafio do intervir no edifício com a premissa de proteger o seu património, renovando o seu interior e restaurando a sua fachada e vitral.»

Sem comentários:

Publicar um comentário

★ Todos os comentários são muito importantes, são o que dão vida a este blog. Obrigada por comentar e assim fazer parte deste espaço! ★
↧↧ ↧↧ ↧↧
✉ Para receber a minha resposta, clique ✔ em Notificar-me ☑