Opinião: O Carrasco | Daniel Cole

Ele mexe as cordas e vê-os morrer.
SINOPSE: Um thriller vertiginoso onde o assassinato é uma obra de arte.
Passaram-se dezoito meses, mas as cicatrizes deixadas pelos assassínios da Boneca de Trapos ainda não sararam.
A inspectora-chefe Emily Baxter é convocada para uma reunião com dois agentes americanos - a agente especial Elliot Curtis, do FBI, e o agente especial Damien Rouche, da CIA - que lhe mostram fotografias do mais recente homicídio: um cadáver contorcido numa posição familiar, pendurado na ponte de Brooklyn, com a palavra ISCO esculpida no peito.
Mediante a pressão dos meios de comunicação social, Baxter recebe ordens para ajudar na investigação e acaba por ter de visitar outro local de crime, descobrindo a mesma palavra (ISCO) esculpida no peito da vítima e, no peito do assassino, também morto, a palavra «FANTOCHE».
À medida que, nos dois lados do Atlântico, a espectacularidade e crueza dos homicídios aumenta, a equipa tenta desesperadamente apanhar os culpados. A única esperança é descobrir a quem se destina o «ISCO» e como são escolhidos os «FANTOCHES», mas acima de tudo, quem está a puxar as cordas.


Ora bem, para começar terei de dizer que esta foi a minha estreia com o autor, ou seja, eu não li o primeiro livro desta saga «Boneca de Trapos» e ao contrário de outras sagas que tenho lido em que nem sempre começo pelo primeiro, esta aqui há mesmo que começar pelo primeiro, caso contrário não se vai perceber várias partes desta história, pois este livro faz IMENSAS referências aos acontecimentos do livro «Boneca de Trapos» e ao contrário de outros livros deste género em que pelo menos resumem ou dão a entender acontecimentos passados, neste não... ou seja, prejudicou imenso a minha leitura as partes referentes a acontecimentos e personagens referidas no livro anterior, e  fiquei várias vezes completamente à toa...

No entanto, a escrita é muito fluída, de fácil leitura, mas tem tanto peso de certas partes paradas como de acção muito louca e vertiginosa, carregada de adrenalina, mas depois tão depressa como começou lá vem as partes mais paradas e dramáticas a nível de vidas pessoais, com alguma carga de auto-piedade que não sou particularmente fã, mas conforme a leitura se vai desenrolando comecei a compreender melhor as personagens e a ficar curiosa com o desenvolvimento e quando dei por mim, já tinha lido o livro todo.

Para quem gosta de thrillers psicológicos e de psicopatia, vai gostar desta saga - comece por ler o «Boneca de Trapos»! - as descrições das cenas são bastante realistas, há cenas de bruta violência intercaladas com drama pessoal e humano, vamos vivendo a narrativa entre os EUA e o Reino Unido, e o envolvimento das forças policiais de ambos os países, tem um enredo rico e interessante, mas no entanto eu teria apreciado uma dose muito maior daquela carga de adrenalina e menos carga dramática pessoal, no entanto, aqui está uma excelente saga para fãs de thrillers com serial killers!

👉🏻 Wook | Bertrand 👈🏻

2 comentários:

  1. Olá Lili!
    Li este livro praticamente quando saiu e adorei todo o enredo que o autor escreveu! Para mim até foi uma das minhas melhores junto com A boneca de Trapos do mesmo autor!
    Beijinhos e boas leituras 📚

    Http://tudosoblinhas.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Creio que teria desfrutado melhor se tivesse lido o primeiro, mesmo assim as partes mais paradas aborreceram-me um bocado, foi uma mistura muito grande de cenas paradas com cenas intensas, tipo um pára-arranca no trânsito e eu pessoalmente prefiro consistência ;)

      Eliminar

★ Todos os comentários são muito importantes, são o que dão vida a este blog. Obrigada por comentar e assim fazer parte deste espaço! ★
↧↧ ↧↧ ↧↧
✉ Para receber a minha resposta, clique ✔ em Notificar-me ☑