Opinião: No Final, Morrem os Dois | Adam Silvera

Para nos lembrarmos de que todos os dias contam.
SINOPSE: Sem morte, não há vida. Sem perda, não há amor.
Pouco depois da meia-noite, Mateo e Rufus, dois completos estranhos, recebem a notícia de que vão morrer dentro de 24 horas. Neste último dia que lhes resta, ambos anseiam por fazer um amigo.
A boa notícia é que existe uma aplicação para isso. Chama-se Último Amigo e, através dela, estes dois jovens encontram-se para uma derradeira e intensa aventura: viver toda uma vida num só dia.

Numa única palavra, diria que este livro é intenso... em mais palavras, digo que é um dos livros mais intensos que já li, mais dramático, honesto, introspectivo, carregado de suspense, de vida, de morte, de originalidade, impactante que já li... só consigo pensar: "caramba... caramba..."

Adorei a forma como explora de forma paradoxal, tão subtil mas intensa a homossexualidade/bissexualidade, a introspecção profunda de dois adolescentes/jovens adultos quando tomam consciência de que aquele dia, é o seu último dia... vão morrer... não sabem de quê, como, nem a hora exacta, mas sabem que até às 23:59 daquele dia, estarão mortos... um, jovem introvertido, com medo da vida, e outro, extrovertido e revoltado com a vida, e a vida vai juntá-los, a caminho da morte...

Intenso... brutalmente intenso, mas lê-se com um carinho no coração, uma leveza de espírito, mas uma ânsia no coração, incrível... e não dá para ler sem nos perguntar-mos a nós próprios: "Gostaria de saber quando será o meu último dia?"
E vocês, leitores? Gostariam de saber quando será o vosso último dia? Se sim, o que fariam com essa informação?

A minha resposta será, de certo, a de muitos: "Gostava e não gostava"... ou se calhar não gostava de todo... imaginam a ansiedade? Eu já fico ansiosa quando se aproxima uma folga, e eu tenho receio de não a aproveitar bem, imaginem o stress de lidar com o último dia na terra...

Se me dessem a hipótese de saber, gostaria de saber com antecedência, ou no próprio dia? Com antecedência dá para planear e tentar viver ao máximo o maior número de coisas, mas é viver aquele tempo todo com ansiedade... e no próprio dia, é viver essa ansiedade e o desespero de não ter tempo para viver e fazer o que mais queremos... é complicado, é um dilema complicado...

Portanto, resumindo, o que eu aprendi e senti bem cá dentro e é um cliché bem batidinho, mas é daquelas verdades claras e certeiras: "Vive cada dia como se fosse o último", porque um dia, vai ser mesmo!

Neste romance distópico, é normal as personagens desde sempre saberem que a qualquer altura podem receber uma chamada, da "Previsão-de-Morte", onde o operador revela que nas próximas 24h a pessoa irá morrer de morte prematura, e quais os sites e formulários a preencher caso queira escrever algo na lápide, onde pode aceder a serviços especiais para viver o último dia em grande, tal como realidade virtual e viver certas experiências intensas, etc... até é dado na escola e tudo, como algo que faz parte do dia-a-dia.

O mais maravilhoso deste livro são as vidas interligadas de todas as personagens, desde os operadores da "Previsão-de-Morte", aos que são avisados da sua morte: os "Deckers", aos amigos e familiares deles, aos que pura e simplesmente se cruzam com uns e outros... a forma como tudo está relacionado e se une, como se fosse um puzzle... está aqui uma história complexa, uma história de reflexão profunda, muito bem contada!

Esta é daquelas leituras que me deu que pensar e reflectir, e ainda continuo a pensar nela, fiquei encantada com a premissa, com o desenvolvimento, com a honestidade e intensidade da narrativa, e com a escrita deste autor, que eu espero ter a oportunidade de ler mais livros, pois fiquei fã!

A capa promete, a sinopse promete, o título promete, a narrativa cumpre! ;)


4 comentários:

  1. Vou ter de ler este livro, fiquei curiosa. Talvez não quisesse saber, qual o último dia da minha vida...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma leitura frenética! 😊
      Ainda contínuo a considerar, mas creio que também preferia não saber, e viver cada um como se fosse o último ...

      Eliminar
  2. Já estou para comprar este livro há imenso tempo. Parece ser um livro que eu vou AMAR!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero bem que sim, é um livro muito interessante e intenso, lê-se vertiginosamente :D

      Eliminar

★ Todos os comentários são muito importantes, são o que dão vida a este blog. Obrigada por comentar e assim fazer parte deste espaço! ★
↧↧ ↧↧ ↧↧
✉ Para receber a minha resposta, clique ✔ em Notificar-me ☑