Opinião: Dentes de Dragão | Michael Crichton

Se pensa que O Parque Jurássico foi uma aventura, venha até ao oeste selvagem
SINOPSE: 1876. Nos territórios sem lei do Velho Oeste, dois grupos de exploradores enfrentam-se um ao outro. O motivo da disputa? Ossos de dinossauro. Mas numa terra pejada de tribos de índios hostis e lugarejos onde os tiroteios estão na ordem do dia, cada façanha põe as suas vidas em perigo. William Johnson, um estudante com mais privilégios do que sensatez, dá por si imerso neste ambiente letal após ter feito uma aposta impetuosa. Juntamente com Edwin Drinker Cope, um afamado paleontólogo, deparou com uma memorável descoberta -dentes de dragão de tamanho exorbitante!Mas para manter o precioso tesouro a salvo, William tem de fazer frente às mais perigosas e notáveis personagens…

Ao tempo que eu não lia um livro típico de índios e cowboys, e ao tempo que eu não lia um livro em que a maior premissa é a pura aventura... esta é uma história de ficção com alguns factos históricos, e não, infelizmente, um romance histórico na integra, não é na sua totalidade historicamente preciso e correcto. Algumas das personagens são verídicas, e alguns dos acontecimentos também, no entanto, e não sei se é por o autor ser realizador, faz o que normalmente acontece nos filmes baseados nos livros, em que quem leu o livro vê no filme as semelhanças da história original, mas há sempre partes cortadas e alteradas, neste caso foi ao contrário, o próprio livro distorce a história verídica para melhor se enquadrar na narrativa, na aventura.

O que mais me fascinou, foi a forma detalhada e envolvente que retrata a paleontologia, as escavações arqueológicas, neste caso específico a busca de ossos de dinossauro, ainda mais sendo que estas descobertas aconteceram mesmo, e é fascinante saber que há uns 200 anos o ser humano desconhecia completamente a existência de seres pré-históricos, nem sequer concebiam a ideia da existência de criaturas como os dinossauros, e que foi no tempo aqui retratado e com as personagens que aparecem neste livro que muitos dos dinossauros que hoje conhecemos foram baptizados por estas mesmas pessoas que os descobriram: Diplodocus, Allosaurus, Camarasaurus, Stegosaurus, Coelophysis, etc, ... e pode ser considerado uma homenagem a quantos perderam a vida nestas exposições às mãos dos "índios" (honestamente prefiro o termo: Nativos-Americanos) colectores de escalpes, doenças, acidentes, pistoleiros, ladrões, escória da pior espécie, ....

Já tinham ouvido falar da "Guerra dos Ossos"? 
Eu não, até ter lido este livro....
A rivalidade entre Othniel Charles Marsh (esquerda) e
Edward Drinker Cope (direita) deflagrou a Guerra dos Ossos
Guerra dos Ossos refere-se a um período de intensa especulação e descoberta de fósseis durante a Idade Dourada na história dos Estados Unidos, marcada por uma acalorada rivalidade entre Edward Drinker Cope da Academy of Natural Sciences da Filadélfia, e Othniel Charles Marsh do Museu Peabody de História Natural na Universidade de Yale. Os dois paleontólogos (anteriormente amigos, mas devido a uma disputa, a amizade acabou) recorreram a métodos desonestos para se superarem um ao outro, recorrendo a roubos, subornos e destruição de ossos. Estes dois cientistas também se atacaram mutuamente em trabalhos científicos, tentando arruinar a credibilidade do seu rival para deixá-lo sem financiamento para suas pesquisas.
As suas buscas por fósseis os levaram para o oeste em direção aos ricos depósitos de ossos no Colorado, Nebraska e Wyoming. Entre 1877 e 1892, ambos usaram a sua riqueza e influência para financiar suas próprias expedições e obter serviços e ossos de dinossauros de caçadores de fósseis. No final da Guerra dos Ossos, ambos esgotaram os seus recursos na busca de supremacia paleontológica. In Wikipédia
Sem dúvida que os piores inimigos que podemos ter, são aqueles que outrora foram os nossos melhores amigos...
A rivalidade era tanta que Marsh pedia aos seus trabalhadores para andarem armados,
de forma a evitar quaisquer roubos. Autor da imagem desconhecido.
Vi estas imagens após terminar a leitura do livro, mas foi precisamente assim que os imaginei com a narrativa descritiva do autor, cuja narrativa é envolvente e fácil de ler, com um toque de humor e sarcasmo delicioso.
Desenho da réplica do esqueleto de um Brontosaurus,
que mais tarde teve o seu nome alterado para: Apatosaurus

Apesar de estar muito bem escrito, houve certas partes do livro que não me cativaram por ai além, achei algo monótonas, cheguei mesmo a adormecer um par de vezes durante a totalidade da leitura, que me levou uns dias, mais para o final do livro foi quando finalmente fiquei totalmente cativada e não pousei o livro até terminar a leitura, estava mesmo ao meu gosto! Para quem adora ler sobre escavações, dinossauros, o Velho Oeste, a história Americana, pistoleiros e muita aventura, vai apreciar esta leitura, sem dúvida.

6 comentários:

  1. Como professora de biologia e geologia acho que esse livro deve ser o máximo. Vou pedir no meu aniversário que é exatamente de hoje a um mês. Eheh.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vai gostar, sem dúvida, especialmente se gostar do Velho Oeste e especialmente de dinossauros! :D

      Eliminar
  2. Não sabia da Guerra dos Ossos! E estudei a História e Cultura Norte-Americanas na Faculdade... Aliás, nem imaginava tal na imagem que tenho do Velho Oeste... Decididamente, para a lista de leituras de férias.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Somos duas, não fazia ideia!
      Imaginava lá eu que no meio das guerras entre nativos americanos, cowboys e cavalaria, no meio da loucura do ouro, havia também lá pelo meio cientistas e caçadores de ossos de dinossauros! :O

      Eliminar

★ Todos os comentários são muito importantes, são o que dão vida a este blog. Obrigada por comentar e assim fazer parte deste espaço! ★
↧↧ ↧↧ ↧↧
✉ Para receber a minha resposta, clique ✔ em Notificar-me ☑