Opinião: Templários | Edição: Clube do Autor | Canal História

SINOPSE: Tal como na série de televisão exibida no Canal de História, o livro Templários transporta o leitor até às origens da Ordem dos Templários, centrando-se na Península Ibérica, na Primeira e Segunda Cruzadas, e nos sucessos que, em finais do século XI e princípios do XII, proporcionaram uma nova mentalidade e a proliferação de um novo modelo: os monges guerreiros.
Rezar, lutar e obedecer. A oração e a guerra alicerçadas numa disciplina férrea foram os pilares que possibilitaram que a Ordem do Templo, a primeira ordem militar da história, atingisse o auge e se tornasse uma referência da Idade Média.
Como era a organização e o dia-a-dia destes cavaleiros? Qual foi o seu papel na Península Ibérica e influência na Reconquista? De que valiosas relíquias era composto o tesouro dos Templários? O que provocou a seu desaparecimento definitivo?
Estas são apenas algumas das questões abordadas nesta obra, baseada na série produzida integralmente em Espanha e em Portugal com o objetivo de cobrir a ampla presença dos cavaleiros da Ordem na Península Ibérica. São também exploradas as grandes batalhas e perseguições que tornaram famosa a Ordem, a origem de muitos dos seus mitos, a busca do conhecimento, a luz e os segredos mais obscuros dos Templários.


Sou uma tremenda apaixonada pelos Cavaleiros Templários, não sei o motivo desta paixão tão precoce, mas desde que existo que me lembro de os adorar... já li muitos de livros, vi muitos filmes e documentários sobre os Templários, e no entanto apesar de muito saber, é com alegria que vejo que ainda há tanto por aprender, e aprendi imenso com este livro, especialmente sobre uma vertente da história dos Templários que eu sabia pouco, que é a sua presença em Portugal.

Viram esta série no Canal História? Maravilhoso...


Como era a organização e o dia-a-dia destes cavaleiros? Qual foi o seu papel na Península Ibérica e influência na Reconquista? De que valiosas relíquias era composto o tesouro dos Templários? O que provocou a seu desaparecimento definitivo? Como eram as regras da vestimenta, higiene, alimentação, tradições, por onde passaram, a forma como marcaram a diferença no mundo, .... está tudo neste fascinante livro! No entanto, é uma leitura narrativa, adorava ver toda esta informação e detalhes num romance histórico, já li vários, mas não possuíam tantos detalhes e pormenores como vemos neste livro, quem sabe um dia, e se não acontecer o caso de ser escrito, quem sabe se não o escrevo eu? ;) A leitura deste livro deu-me IMENSAS ideias para o fazer, é uma excelente fonte de conhecimento e inspiração!

O que que eu já sabia juntou-se ao que eu desconhecia por completo, e estou mais apaixonada que nunca por esta ordem de cavaleiros justos, corajosos, honrados, camaradas, conquistadores, inteligentes e poderosos, que me inspiraram e apaixonam....

👉🏻 Wook | Bertrand 👈🏻

10 comentários:

  1. Estou a ler e a adorar, infelizmente estou-me a demorar na leitura por outros motivos, mas tenho de terminar e se conseguir, ver a série do Canal História.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É daqueles livros que nos faz sentir mais ricos culturalmente, além de ser uma história/Ordem fascinante... *.*

      Eliminar
  2. A Clube do Autor tem vários livros sobre História muito interessantes. Tenho alguns na minha biblioteca pessoal e esse também me parece digno dela.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Clube do Autor tem livros de uma riqueza cultural irrepreensível! De qualidade em todos os aspectos, capas lindas, excelente tradução, investimento em autores nacionais, é excelente! :D

      Eliminar
  3. E é assim tão importante esta ordem ? Estiveram por cá em Portugal em que ordem militar ?

    ResponderEliminar
  4. Estive a ler o seu texto, a questionar porquê é que desapareceram. Eles de facto não desapareceram, ficaram noutra ordem de São João, filho primogénito de D. Dinis e não se chamavam cruz de Malta, como vejo muita gente a usar trajes que não correspondem minimamente à verdade.

    Os templários ficaram donos de castelos, terras e a Igreja queria tudo dos templários, por isso ameaçou o rei Francês e o Português para expulsar os Templários de Portugal e França. E só existia um reino nessa altura por parte da Bohémia, da Alemanha que era oposta à Igreja e que esta resolveu fazer acordo com o da Alemanha não a Bohémia e excomungar o rei Francês.

    A Igreja não tinha poder sobre Fez e Marrocos. Os primeiros Réis em Fez e Marrocos foram judeus e cristãos

    Agora de tanta conversa, vamos às provas da época. As pessoas normalmente falam e falam de coisas que desconhecem e supõe que seja como eles ou elas imaginam. Mas eu gosto de provar tudo.

    Registo 1

    O anno de nofo Senhor Jefu Chrito de mil cento e oyto annos, fendo Papa na Egreja de Deos, Gelazio II. Regnando em 醬 Valdovino deste nome o primeyro, e dos Rex de Jerufalem ho eguúdo, que focedeu ha seuirmaaô Gudufre primeyro Rey fe acha, que dous homens devotos dos quaaes huú ouve nome Ugo de Payaõ, naturaal da cerqaa de Troya, e outro ho Ficu Santo homem Frances, eftes com dezejos de fervirem ha Deos leyxados hos gotos,e doçuras de fuas fazendas, e natureza, [e foraõ aa Cidade San&ta de Jerusale pera nella viverem,e por fua defençaõ acabarem fuas vidas,ahos quaaes ho dićto Rey Valdovino perque conheceu que eraõ homens de boom esforço, e de fingular devaçaõ, mandou dar huña pouzada dentro dos feus Paaços, que eram junto com ho Templo de noffo Senhor!, e hos Conegos do dióto Téplo lhe deraõ huú Altar, e Capella apartado pera que melhor, e mais quietamente com. E por fuas boondades que por todos foram vitas, e experimentadas ElRey, e ho Patriarca, e asi hos Perlados, e nobre, e devota Jerufalem lhe mandavaó abatadamente por emola hos mantimentos, e provizam, & ho primeyro encargo que ho Patriarca por pendença, e remifam de feus peccados lhe deu, foy que com ha gente devota, que fe ha elles quizeffe ajuntar , guardafiem hos caminhos por onde hos Romsyros vinham ha Jerusalem, porque dos muitos ladrões, e maalfeytores nom recebefem hos roubos, e danos, que muitas vezes recebiam, ho que elles quanto foy poffivel fizeraõ, e continuaraõ com grande honra, trabalho, e muito cuidado atee nove annos, nos quaaes foram grandemente ajudados demolas por ElRey, e por ho Patriarca , e por todalas outras naçoens, que eram em Jerufalem, e neftes annos nom fizeraö algutia mudança dos Abitos feculares, cõ que primeyro vieraó, mas aho anno decimo depois de fua chegada lhe foy dada Regra por ho Papa Honorio II. ha quaal S. Bernaldo compoz , e lha deu com Abitos brancos por humildade, e nelles por defora huña Cruz vermelha por fenificaçaö do fangue de Chrifto, e tomàraõ Religiaõ em que sizeraò voto de castidade, e obediencia, e renunciaraò pera sempre Hos quaaesantre todolos outros Cavalleyros, e calidades de Chriftaãos,á nas partes dultra maar pela Fee, e defençaõ da Teerra Sanéta peleyjavam etes (obre todos com gente, que era em
    ho proprio. Ꮐ Hos mais devaçam, e esforço faziam delta primitiva devaçaõ,e Religiaõ lhe deraõ em feus Regnos,e Senhorios grãdes teerras, Cidades,Villas, e Catellos, com muitas rendas, e poffefoens. E neta Ordem por fua grande devaçaõ fizeraõ muitas gentes profiffam, e antre hos Cavalleyros avia outros Religiofos Freyres fergentes, que traziaó has me{mas Cruzes vermelhas, mas nos mantos avia antre elles deferenga, e ordenaram antre fy pendaö, e bandeyra, que diante elles levava nas batalhas feu Alferes, e erå ametade de branquo, eametade de preto, por fenefiduaçam que na Fée (empre fofem limpos, caftos, e humildolos, e firmes, e no meyo della ha Cruz vermelha.

    ResponderEliminar
  5. Registo 2

    E por erem do principio alojados junto com hoTemplo, como atraas dice, por effo foram chamados Templarios,dos quaaes ho Papa, e ho Patriarca fizeraõ alguűs antre hos outros mais principaaes, ha que chamaraó logo Abbades Bentos, e depois foraõ di&os Mef. tres, e repartidos pelos Regnos, e Provincias da Chriftandade , de que foo em Jerufalem avia deflar como etava ho Gra o Metre delles ha que todos aviaó dobedecer como obedeciaõ. Ha efte chamavaõ ho GračMeftre do Templo de Salamaõ em Jerufalem, e no principio, e fundamento conta que hos Cavalleyros, e Freyres viviaõ, e guardavaõ ha Religiaõ em muita profifaõ, e louvados cotumes,por effo foraõ fempre em todos feus feytos muito vitoriofos, e bemaventurados, que por exemplo da verdadeyra Fee, muitos delles com grande confiança, e contancia fo nome da Religiaâ, e disciplina Militar detes Cavalleyros da Ordem do Templo, que hos.

    Registo 3 - Aqui existiam os tais reinos de Fez

    Rex Depanha, que naquelle tempo Regnavaõ, porque nella ainda avia grandes Regnos,e poderosos Rex Mouros por conquiftar mandaram por elles ha ultra maar, e nas conquistas, e batalhas dos infieis por grãde ajuda hos trouxeraõ configo, e affi por armas boondade, e esforço refponderaõ fempre aa confiança que delles era conhecida, e por effo na me{ma Efpanha por hos Rex, e Principes, e Senhores della, e doutras gentes particulares em feus tetamentos elles foraö erdados de muitas Villas,teerras, e grãdes rendas , has quaaes elles affi davaó ha obras piedozas, e meritorias, e affi has repartiaõ pelos fieis Chriftaáos que craramente parecia que todo era ho proprio, e verdadeyro patrimonio de Chrifto. Mas depois como nellas creceraõ grandes Senhorios, e grandes riquezas, logo fegutído fe delles diz, ha que muitos nom daó verdadeyra autoridade, ha cobiça ocupou nelles, e em fua Ordem ho galardam dos virtuofos merecimõtos palados, porque has virtudes, e boondades em que eraõ profef. fos converteraõ logo em todos feus contrayros, em que fizeraõ ho cõtrayro do que ante faziaó, de maneyra, que por autoridade do Papa (e izentaraõ da obediencia do Patriarca de Jerualem, e afi de todolos outros Prelados, ahos quaaes denegavaõ depois hos dizimos,primicias, e rendas com que no principio foraó delles ajudados , e fuftentados, trazendo-os em demandas, eletigios como fe diz, que ho fizeraõ no Regno Daragam onde tiveraõ guerra contra has Egrejas Catredaes, e riquos homens daquelle Regno.

    ResponderEliminar
  6. Registo 3

    Eha cauza deto era porque ef. te Papa ho tinha excommungado, e privado do Regno de França, e como de juro dado aho Emperador D´alemanha, e por vinguãça defo, ElRey de França manhola, e encubertamente mandou prender hodito Bonifacio na Cidade de Pavya em Italia, e daly foy levado ha Roma, onde logo faleceu, e por efta cauza ElRey de França, que ficava excommungado ha elle Papa de fua memoria tinha grande odio, e porém ho Papa Clemente com ha dezoneftidade , e injutiça defte requerimento pelo juramento que tinha feyto, e ha refens que tinha dados que corriaõ rifquo de morte, foy muito torvado, e poto em penfamento, e avido fobreffo concelho por ganhar tempo de dilaçaõ em que ha vontade delRey, por ventura fe amanffaria, dilatou ha dita exequçam da fexta promefa pera Conciliogéralha ó convocou hos Princepes, e Prelados pera ha Cidade de que era fóra da jurdiçam delRey de França, pela qual cauza, e por logo nom comprir, elle fe moftrou do Papa muito aggravado. E durando has pendenças deste injuto, e torpe requerimento delRey, que ho Papa nunqua quiz outorgar, acóteceo que hum Prior de Monte Falcaó de Toloza, que era deta Ordem, e Religiaõ dos Templarios homem perverfo, e maao, que por feus erros, e grandes crimes jazia prezo em Pariz, condenado por fentença ha carcere perpetuo, e com elle outro chamado homem cheyo -de todalas maldades, e treyçoens, hos quaaes ambos por feerem de muy malinos eípiritos, por tentarem alguñ caminho de fua deliberaçaõ notificaram, e certificaram ha certos oficiaaes delRey de Frãga, ho quaal sabiam seer Reygrande tirano, e fobre todolos homens .mais cobiçofo, que ho Metre,Cómendadores, e Freyres da Ordem do Templo, eram todos Ereges, e culpados em tam abominaveis crimes,que por inquiriçaólogofe provariam por hos quaaes ha Ordem devia feer desfeyta, e ElRey aver pera fua Coroa toda fua fazenda, que em França era muita. Ha quaal couza fignificada ElRey elle movido mais de cobiça, que por guardar verdade, nem fazerjuftiça requereo aho Papa,eho inclinou maliciosamente, que desfizeffe eta Ordem cheya de muitos erros, e ofenfas que lhe apontou,ha que o Papa feguundofe diz, pelo afrouxar da promefa do Papa Bonifacio, com que ho apertasa logo fatisfez, porque fem fazer muito exame, nem ver has certas provas que fe requeriam ácerca do que contra hos Templarios fe dizia, nem (e guardar alguÚa ordem de direyto juizo foram em França todos prezos,e feusbeens tomados, e ElRey hos apropriou logo aasua Coroa, e affihonotificou logo aho | Papa, e mandou por fuas Bullas que affi ho fizeffem todolos outros Rex, e Principes Chritaãos em cujos Regnos, e Senhorios avia ha die éta Religiaõ, e foy logo prezo em Pariz ho Meftre do Templo, que era huň homem por linhagem, e autoridade de muy principaal devaçaõ, e avia nome Jacobo, e com elle feffenta nobres Cavalleyros da dicta Ordem, contra hos quaaes 'por artigos formados (e poz: Que aho tempo de fua profia5 que todos faziaõ fecreta, co/piaõ em Chfio Crucificado, e que indiflintamente, e feem efcuxa, e com efpecialidades feyas, e muy deshonetas, uzavam antre /y do abominavel peccado de contra natura, e que juravam que jufta, einjuftamente fempre a/i ajudariaö, e confervariaö ha dičia Ordem , e que elles Templarios como tredores daTeerra,e Caza Jāčiaforam cauza de fe perder corrutos de dadivas pelos infieis.

    ResponderEliminar
  7. Meftre do Templo, que era huň homem por linhagem, e autoridade de muy principaal devaçaõ, e avia nome Jacobo

    Daqui vamos para Marrocos com o Jacob

    Registo 4
    Jacob, premier Roi de la famille des Benimerinis.;Maximilien , à Ton retour d'Espagne, avoit amené avec lui Buhazon parent du roi de Fez : ce Prince persécuté, & depuis peu dépouillé de ses Etats par le Chéris, étoit venu reclamer le secours de l'Espagne contre cet ennemi commun

    Depois, vieram mais uns tantos Réis com domínio da Bohémia, Espanha e Portugal, a Igreja nunca entrou.

    Este Gaspar Benemerino é meu 10 avó materno faleceu em 1641, este é o meu 9 avó materno de Buhazon V rei de Fez e Marrocos.

    Registo 5
    D. O. M. B. M. V. Gaspar ex Sereniffima Benemerina familia, vigefimus fecundus in Africa Rex. dum contra Tyrannos a Catbelico Rege anna rogat auxiliaria, liber effeflus, Through Germany, Bohemia, Hungary, Switzerland

    GASPAR ex seremijfima BENEMERINI Familia, vigefimus fecundus in Africa Rex, dum contra Tyrannos a Catholico Rege arma rogat auxiliaria, fiber effe&us a tyrannide Machometi,sepulchrum hoc GASPARIS BENEMERINI, Infantis de Fez, & cius familia

    Registo 6
    Buhazon V dominante cm Féz advertiodo prudente, que falto da repuado. elle tratou negócios da maior Importância , eotrtf outros o cafamento do Príncifíe D Joaô^ com fua iiiha, a Princesa D.Joanna^ qtie elie conduzio a Portugal e este João é Joannes V

    Registo 7
    Maximilien , à Ton retour d'Espagne, avoit amené avec lui Buhazon parent du roi de Fez : ce Prince persécuté, & depuis peu dépouillé de ses Etats par le Chéris, étoit venu reclamer le secours de l'Espagne

    A Igreja Católica em 1815 afastou a minha família do reino de Portugal e estes Papas, cardeais nunca mais entram em Portugal.

    E a minha família somos os herdeiros de sangue, dos tais Templários que foram expulsos de Jerusalem, França e Portugal, e ficaram sempre no domínio Português.

    ResponderEliminar
  8. Os historiadores não dizem que a casa de Nurmberg teve casamento a João V ? O joao V casou com Joanna Mathilda Fez ou Ferz. Jaz a prova.

    1742 - ‎Buhazon König zu Fez war aus dem stamme der Merinis Oaas, Könige dieseslandes und kam durch seine klugheit ... Allein weil dieser mit andern geschäfften überjet war, konnte er ihm nicht nach wunsch helffen, so daß Ä mit dem Könige Johanne von Portugal einen traÄ so, welcher ihm ... Bukowski eine alte adeliche und nunmehro Freyherrliche familie in Böhmen und Mähren führet von ihrem alten ..

    1710 - Allein nachdem die Cheriffe hernach eine Allianz mit einigen Herrn über das Gebürge / welche des Königes von Fez ... Der König von Ferz welcher über dieser Antwort sehr erbittert ward/ belägerte Maroeco; weilenaber sein Bruder Muley …

    Antonio Brandao - 1632
    Eraó Capitaćs principaes defla armada Roberto de Sabloil,& Richardo de Cábilla & Guilherme de Ferz, Alê de algús prelados do mefmo Reyno. A dez nauios delia frota qtinháo partido do porto deL er tenue sobreio hüa furiosa toi méta na ...

    1786 - ‎1289 du consentement de ses frères, au Roi de Bohème WENcESLAv II. ... Diepoldisualde, lWrouvenslein, Lewenstein, Seydou e, Heyn, Statim, Tufenou e, Sumauy-Ferz, Caslrum Radeherg

    Theutonio de Braganza, qui portera le titre d'évêque de Fez
    Addison. Beschreibung von Fez und Marocco. (Addison. Description de Fez et du Maroc.) Nürnberg. 2 vol. in-12. 1672
    1580 — Freigius: Historia de bello Africano in quo Sebastianus rex periit. Nuremberg 1580.



    Esta prova é para a descendência de João IV de Portugal

    Bonavtriufque fifco addi&ta, nec maiorum profuit religio, quam tuebantur. & Bergenfis, vt regem placaret, per literas vxori mandauerat, quicunque pueri in fua ditione a feétarijs luftrati effent, hos vtdenuo luftrari iuberet. pro Montinio, quæ aduentabat, Philippi fponfa, Anna Auftriaca, deprecatura dicebatur. fed illi ne gratiam hanc faceretinuitus, maturato fupplicio, intercefsionem exclufit. Iam Philippus in Belgium iturus de via deliberat. Oceanum ingredi exiguo mauigio, præter dignitatem

    Méfe Augufto Anna Auftriaca Philippi matrimonio deftinata in Belgium venit proficifcentem fratrum minimi Albertus ac Wenceflaus , & feleéta nobilitas comitabatur.

    PHILIPPO IV. quod non tantas haberet vires, ut vel fubditos rebelles frangere poffet. Hac opportunitate ufi Lufitani A. 1 64o. die 1. Decembris excuffo Hifpanorum jugo JoANNEM IV. Ducem Bragantiæ fibi Regem elegere. Galli in Belgio, Angli in Indiis ex ruinis Monarchiæ


    Agora a prova de Anna de Austria casada com Louis XIII e mãe de Louis XIV e não casou com João V

    Les amours d'Anne d'Autriche, épouse de Louis XIII. Pierre Le Noble - 1693

    Lettres Patentes portant don à Anne d'Austriche Reine de France, des Duché de Bourbonnois , Comtez de Forests , de la Haute & Basse Marche, des Duché & Comté d'Auvergne, de la Baronnie de la Tour, & du Duché de Bretagne , pour en joüir par elle , pour ses deniers dotaux & son doiiaire. A Paris le 12 Octobre 1643. Reg. au Parl, le 11 Février , & en la Ch. des Comptes le 14 Mars 1644.1 Vol. des Ord. de Loiiis ATIV cotté 3 H fol. 124.

    Os historiadores portugueses mentem com todos os dentes que tem, o que é que devia acontecer a esta gente que mente, engana meio mundo nos seus livros ?

    ResponderEliminar

★ Todos os comentários são muito importantes, são o que dão vida a este blog. Obrigada por comentar e assim fazer parte deste espaço! ★
↧↧ ↧↧ ↧↧
✉ Para receber a minha resposta, clique ✔ em Notificar-me ☑