Visita à Biblioteca Municipal da Nazaré

7 de novembro de 2018


Aqui ☚ já tinha apresentado a Biblioteca Municipal da Nazaré, só faltava lá ir pessoalmente, então lá fui :)
↪ Esta publicação está elaborada de forma a que: primeiro mostro a foto, e imediatamente abaixo faço os meus comentários, apresentações ou elaboro algum texto relacionado com a foto. A forma de ler esta publicação (e todas as minhas outras do blog) é: Foto - Texto - Foto - Texto, ... Podem clicar em cima das fotos para as verem com mais detalhe ↩

Estão a ver esta parede do lado esquerdo? No outro lado encontra-se a biblioteca! Quantas vezes eu já tinha passado por aqui, e sem saber! ⊙.⊙)



Então, vamos lá dar a volta ao edifício...


E cá estamos nós! (◠‿◠)





História e factos curiosos sobre as máquinas de escrever: A Remington, que antes se dedicava apenas à produção de armas, foi a primeira empresa a investir na produção de uma máquina de escrever, em 1874, já com uma configuração bem próxima do modelo que se tornou popularmente conhecido em todo o mundo.
A partir de 1880, as máquinas de escrever passaram a ser adotadas pelo mercado corporativo, em busca da legitimação dos documentos comerciais que eram produzidos em todas as transações.
O aumento da demanda despertou o interesse das indústrias para o novo produto, primeiro nos EUA e, depois, na Europa, com a Alemanha sendo um dos principais polos, que em seguida se espalhou para os demais países industrializados.
O mercado de trabalho também cresceu com a necessidade de contratação de datilógrafos, capazes de operar as novas máquinas com velocidade e precisão. Com isso, as mulheres passaram a ter espaço nos escritórios, redações e cartórios, assumindo funções nas áreas administrativas, o que consistiu em um dos primeiros movimentos para a conquista dos direitos femininos. In Wikipédia 
O livro: "História da Minha Máquina de Escrever" (The Story of My Typewriter no original), de Paul Auster, é um tributo à relação intensa e muitas vezes determinante entre um escritor e a sua máquina de escrever. Ao longo de trinta anos, a velha máquina Olympia de Auster foi a corrente de transmissão dos romances, contos e textos de um dos mais emblemáticos escritores norte-americanos.
Paralelamente, os vigorosos e obsessivos desenhos e pinturas que Sam Messer dedica ao autor e à sua máquina de escrever conseguiram, como escreve Paul Auster, "converter um objecto inanimado num ser com personalidade, com uma presença no mundo".
O livro foi publicado em Portugal em 2006 pela Edições Asa. In Wikipédia 
Danielle Steel: Apesar dos autores mais modernos utilizarem computadores para escreverem as suas histórias, Danielle Steel manteve-se fiel à sua máquina de escrever 1946 Olympia que ela denomina de “Ollie”. Steel alega ser “resistente à tecnologia” e utiliza o computador apenas para escrever e-mails, apesar das muitas tentativas de editores e familiares de expandirem as suas competências tecnológicas. Steel escreveu mais de 90 romances com a sua máquina de escrever, incluindoOnce in a Lifetime (1982) e Kaleidoscope (1987). In catawiki

Vamos subir? :)


Aqui chegada, comecei a conversar com as bibliotecárias...
Estas foram as minhas doações à biblioteca. Espero que façam as delícias dos utilizadores...  ツ
Que fizeram as delícias delas, fizeram, que nunca tive uma recepção tão calorosa às minhas doações como esta! Foram muito simpáticas, e ficaram genuinamente agradecidas...

Será que já foram requisitados?... ;)





Muitas bibliotecas, além de tudo o que as bibliotecas já oferecem, muitas ainda oferecem a vertente "museu"... Adoro!



A banda desenhada e as novidades... e como já sabemos, as "novidades" são os novos livros que são adquiridos (ou doados) à biblioteca, e não propriamente as novidades do mercado, salvo excelentes doações dessas mesmas novidades, ou de um financiamento "bondoso" que surja para o efeito, volta e meia, aqui e ali...

Essas bibliotecas até dispensam doações, pois já não tem mãos a medir com a quantidade de livros que recebem do depósito legal. Imagem que num mês são publicados 1000 livros, e elas os recebem, todos os meses, imaginam no espaço de um ano? Não terem espaço nem pessoal para fazer render o trabalho e burocracia por detrás de disponibilizar um livro para ser requisitado na biblioteca? Ui, isto do depósito legal tem muito que se lhe diga, e eu já muito aprendi com as bibliotecárias, por isso, depois irei publicar no blog um crónica escrita por mim sobre o assunto... Umas com tanto, até demais, outras sem nada... Mas pronto...

Voltando a esta biblioteca, que não recebe depósito legal, e aceita de bom grado boas doações...



Excelentes ofertas a nível de DVD´s para requisitar, muito bem!




E de CD´s também!





Além de museus, há bibliotecas que ainda são também galerias de exposição.... ❤




Excelentes espaços, muito "clean", gosto :)


Uma tipologia de livros que esta biblioteca também agradece receber, são livros em língua estrangeira, especialmente o inglês e francês, mas também noutras línguas. Por ser localizada numa à beira-mar e um ponto de turismo, recebem muitos estrangeiros para requisitar livros, mas também os estrangeiros que lá vivem todo o ano pedem para requisitar, e também os utilizadores que gostam de ler no original, ou mesmo os estudantes para praticarem outras línguas e lerem romances.



A biblioteca da Nazaré tem um excelente acervo de livros em língua estrangeira, mas se pudessem ser doados uma ou outra novidade.... E também livros de autores nacionais, mas traduzidos para língua estrangeira, também é muito solicitado...






O Fundo Local reúne todo o tipo de documentação e publicações referentes a uma determinada localidade.
Com mais rigor, poderemos definir o Fundo Local como um conjunto organizado de espécies documentais qualquer que seja o seu suporte (impressos e audiovisuais), produzidas por uma comunidade ou com ela relacionadas, que se referem aos mais variados aspectos da sua vida, história e actividades.
Assim, o Fundo Local engloba documentos sobre a história, a política a economia, a sociedade, as instituições, a vida religiosa, as actividades associativas e sindicais, culturais e desportivas, as artes e as letras, as personalidades, etc., de uma determinada comunidade e ainda sobre a geografia, a geologia, a fauna, e a flora da região em que ela está inserida.
De uma maneira geral será a documentação que respeita ao seu património cultural e Natural, mas também que reflicta o quotidiano dessa comunidade.
Compete à Biblioteca Municipal recolher, tratar, conservar, explorar e difundir toda essa documentação, nos seus diferentes tipos de suporte, tornando-a acessível a toda a população. IN dglab

Outra utilidade que se pode dar ao fundo local, é para aqueles que querem escrever sobe a história da cidade, ou mesmo um romance histórico, é uma excelente fonte de conhecimento e inspiração...


Adoro! xD


Então, lá fui eu subir as escadas, para ver o que estava lá em cima...




Aqui, é onde são guardados os fundos doados por famílias ou instituições.
Pessoas e/ou instituições que doam as suas bibliotecas inteira, e caso seja de utilidade para a biblioteca e os seus utilizadores, são disponibilizados neste espaço.





Espaços à espera das próximas doações :)




Se quiserem estar isolados, podem sentar-se cá em cima...




Voltei a descer as escadas...


Pedacinhos maravilhosos de arte, aqui e ali...


Mais uns quantos livros sobre a maravilhosa Nazaré... Só tive pena de não ter tido grande tempo para explorar melhor e poder ficar a ler um bocadinho...



As instalações sanitárias...


Vamos lá descer para o piso inferior novamente...




Mais periódicos e revistas...




Então, fui convidada da ver a sala infantil/juvenil, que me cativou logo ela organização, asseio e cuidado...


- "Venha ver a nossa Sala do Conto!"
- "Vou pois"!
E lá fui eu, e então, a porta abre-se ...


... e aparece um mundo encantado! Com dragões e tudo!! ❤


Uma salinha maravilhosa, mágica e acolhedora!








Fantástica, não é? E ainda têm uma espécie de auditório onde são projectados filmes...


O cantinho para os mais pequenitos...









Apesar de ter um espaço infantil/juvenil giríssimo e convidativo, ver quase todas as estantes meio vazias partiu-me o coração... Já tenho ali de parte livros direccionados para o público mais jovem, para ir la doar na minha próxima visita à Nazaré, se souberem de alguém que também tenha disponibilidade e interesse em doar livros para os mais novos a esta biblioteca, tenho a certeza que os mais pequenitos da Nazaré vão adorar e agradecer! :)



No entanto, está tudo muito bem organizado e dividido...



Espaçoso e com muita luz natural...





Em todas as bibliotecas, até agora, encontro sempre o "Banana", e eu já vos contei como eu ADORO o "Diário de um Banana"... ❤




Boa oferta a nível de filmes...




E de música também...



Adoro estes livros... Como sempre, aparece-me alusões ao Egipto a todo o lado que eu vou... Será por eu amar tanto a sua história e mitologia?




Novidades e sugestões...


Exposições no átrio...


E falando em exposições, fui convidada para ver a exposição que estava a decorrer de momento...





Wilson traz “em algumas obras, referência a imagens captadas por fotógrafos locais para mostrar ao público duas visões sobre o mesmo objeto retratado: a do fotógrafo e a do artista plástico”. 
Nos últimos anos tenho pintado muitos murais e por isso não conseguia produzir muitas telas. Mas agora volto com força total, e com um estilo um pouco diferente”.
Autor de vários murais gigantes pintados em cidades brasileiras (Bahia, Fernando de Noronha, Recife, Espírito Santo, São Paulo, Natal, Rio de Janeiro e Paraná), fez a sua primeira arte de rua fora do país na Nazaré, na Ladeira do Sítio, dedicando-a à onda gigante da Praia do Norte e ao Forte de S. Miguel Arcanjo.
Artista plástico, surfista e mergulhador, Erick Wilson é conhecido como Artista do Oceano. É embaixador do mar da ONG Internacional Sea Sheperd, membro da Ocean Artists Society e fundador do projeto social “Amigos do Oceano”, onde realiza um trabalho de educação ambiental através da arte, passando a mensagem de preservação dos oceanos e descobrindo novos talentos.
O projeto “Gigantes do Mar” começou a ganhar forma em 2014 e tem como objetivo pintar 80 murais no Brasil, retratando animais marinhos gigantes em tamanho real (baleias, raias manta, tubarões e outros). In cm-nazare

São lindíssimos, não são? Fiquei encantada! ❤





E assim acabou a minha breve visita, onde fui muito bem recebida, e onde receberam as minhas doações com um entusiasmo como há muito eu não recebia! Adorei a visita, a conversa e troca de ideias, e só posso dizer: até breve e obrigada! ❤

E vocês? Já a visitaram alguma vez? Já conheciam? São (ou foram) usuários desta biblioteca? :)

6 comentários:

  1. Adoro bibliotecas. E conhecê-las. Sou usuária da Biblioteca Pública de Évora. Uma das mais lindas. Parece que entramos noutro mundo. Quando tiver algum tempo disponível, quiçá nas férias, venha a Évora. Prometo que não vai se arrepender.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, muito obrigada pelo convite! :D

      Eu já falei sobre a Biblioteca de Évora aqui no blog, já fui convidada pelo pessoal de lá a ir, são super simpáticos, e mal posso esperar por lá chegar! :)

      Eliminar
  2. Respostas
    1. É uma biblioteca linda e acolhedora, não é? :D

      Eliminar
  3. Gostei muito de ver esta biblioteca. Um espaço bonito, organizado, acolhedor e com diversidade de opções (apesar de algumas lacunas). Que bom que as bibliotecárias ficaram tão felizes. É sinal que o seu trabalho é feito com o coração. Gostei muito, também, das curiosidades sobre as máquinas de escrever.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa, adoro que reparem nestes pequenos detalhes, dicas, informações e pedacinhos de história que vou colocando nas minhas publicações :D

      Eliminar

★ Todos os comentários são muito importantes, são o que dão vida a este blog. Obrigada por comentar e assim fazer parte deste espaço! ★
↧↧ ↧↧ ↧↧
✉ Para receber a minha resposta, clique ✔ em Notificar-me ☑