A minha visita à Bertrand Editora - Grupo Bertrand Circulo

Foto google maps
A Bertrand Editora é uma das mais prestigiadas editoras portuguesas e uma das mais antigas casas editoriais europeias, com quase trezentos anos de história.

O percurso editorial da Bertrand acompanha os mais consagrados nomes da literatura portuguesa e estrangeira com uma ampla variedade de livros que vão das ciências sociais e humanas aos livros infanto-juvenis e da arte e arquitetura à divulgação científica passando pela banda desenhada e pelos livros práticos.
Muitos intelectuais e escritores aqui publicaram os seus livros sendo disso exemplo, entre outros, Alexandre Herculano e Aquilino Ribeiro. Indo ao encontro dos leitores portugueses a Bertrand Editora não só tem preservado o seu passado mas também tem sabido inovar e por isso é hoje uma das mais ativas editoras nacionais onde coabitam as tendências mais inovadoras da escrita numa multiplicidade de temas e de géneros.

A minha visita à Bertrand Editora:
No dia 13 de Abril de 2018, (estava eu de férias nessa semana, a visitar a minha "terra", Lisboa), por volta das 08:00, sai de casa da minha avó para me meter a caminho da Bertrand Editora, onde estava combinado eu fazer uma visita. Tinha andado toda a semana ansiosa!

Da casa da minha avó, apanhei o autocarro da Carris número 735 até ao Terreiro do Paço. Quando lá cheguei, meti-me logo à procura da paragem do autocarro 711, pois nunca tinha apanhado esse. O que vale é que no Terreiro as paragens para várias localidades são todas ao pé umas das outras, e é fácil e intuitivo nos orientar-mos por lá.
Encontrei a paragem do 711 facilmente...
E lá apanhei o 711 sentido Alto Damaia. Já dentro do autocarro, sentei-me o mais próximo possível do condutor e perguntei-lhe qual a paragem mais próxima da Bertrand Editora para eu sair. Ele disse que quando chegássemos à paragem que ficava mais perto, me avisava, e assim foi, muito simpático, deixou-me mesmo ao pé da Bertrand.
Manhãzinha cedo no Terreiro do Paço, à espera do autocarro.

A subir a Avenida da Liberdade já dentro do autocarro 711.
Fui por sítios por onde nunca tinha ido...
Ia sentada junto do condutor, para não me perder  ッ
Aqui, o condutor informou-me de que já estávamos perto, e de facto eu bem a vi, reconhecendo pelas imagens do Google Maps, lá ao fundo, finalmente, estava a chegar!
O autocarro parou um pouco abaixo, na paragem mais próxima, subi um pouco a rua e cheguei! :D
A entrada!
Adoro esta fachada...
Parque de estacionamento para visitantes/pessoal externo ...
Quando reparei nos patinhos, já eles se estavam a afastar, inclusive patinhos bebés, são os patinhos de "estimação" da Bertrand Editora! =P

Nota: As fotos que tirei dentro da editora foram o mais discretas possíveis, para respeitar o espaço e o trabalho dos seus colaboradores.
Cheguei à recepção, informei da minha chegada, informaram a Sofia Lima que eu já tinha chegado, e depois, como cheguei 15 minutos mais cedo, aproveitei para explorar o espaço!
Primeiro sentei-me um pouco a recuperar o fôlego e também para ver se os sofás eram tão confortáveis como pareciam...
E são! =P
Adoro a complexidade desta planta...
Aqui e ali, vemos estes "Kapa Line", cartazes com informações e a divulgação de livros da editora e chancelas.

Uma chancela, podem ver aqui a definição especifica no dicionário. O que melhor descreve é: "marca ou firma que, apesar de pertencer a um grupo empresarial, é apresentada ao público de uma forma autónoma, com o objetivo de realçar determinadas características específicas dos produtos ou serviços que vende".

Normalmente cada chancela representa um tema específico. Por exemplo: a Pergaminho: Tem um catálogo de mais de 500 títulos, sendo a maior parte textos de não ficção. Tendo começado por publicar História, Gestão e Humanidades, a Pergaminho alargou o seu catálogo para a autoajuda, 
Quetzal: Atualmente, é o selo editorial do GBC que mais publica ficção em língua portuguesa, com uma vasta lista de autores estrangeiros de grande qualidade literária, dedicando-se também ao ensaio e a outros livros de não ficção.
Pergaminho...
Quetzal e Bertrand...
Um mural a Fernando Pessoa, fantástico!
Super giro! A sala em frente, mais especificamente do lado esquerdo é o refeitório.
Eu a explorar a entrada...
Uma fonte pelo meio...
Lee Child, um autor que nunca li, mas tenho curiosidade!
Estava eu novamente sentada nos confortáveis sofás, a folhear as revistas "Somos Livros", quando aparece a Sofia Lima, que entusiasticamente me vem receber! Senti-me imediatamente à vontade!

Fui apresentada à equipa, e foi muito emocionante conhecer pessoas com quem me correspondo via e-mail ali, pessoalmente, à minha frente! Adorei, e foram todos de uma simpatia e à-vontade que me comoveu mesmo, e mais: trataram-me com imenso respeito, fizeram-me sentir estimada (e até importante!).
O meu blog, o meu projecto, a minha pessoa, tudo tido em consideração, fizeram-me sentir como se fizesse parte da equipa.... ❤

Aqui, nesta sala, é onde são guardados os livros para divulgação promocional (sim, caros bloggers literários, é aqui que eles ficam antes de virem ao nosso encontro!) e caros leitores, é aqui que eles ficam durante os passatempos, e depois é daqui que vão parar às mãos dos vencedores! E claro, aqui ficam para outras campanhas promocionais e com outros destinos específicos.

Os livros que encontramos nas livrarias e outros espaços onde os vendem, vão directamente da distribuidora da editora para os locais de venda respectivos, não saem da editora.

Não, caros leitores, os livros não são impressos aqui! Há uma empresa gráfica que o faz, e depois envia para a distribuidora, e a distribuidora faz a distribuição pelos locais a que se destinam.
Podem ver aqui, passo-a-passo, os vídeos de como se processa a impressão dos livros pela empresa Bloco Gráfico, S.A. que se constitui como a divisão gráfica do Grupo Porto Editora.

No entanto, já estou a planear a possibilidade de visitar empresas de impressão de livros, empresas gráficas, para depois partilhar essas visitas de uma forma mais acessível, original e pessoal convosco, explorando bem o processo, tal como estou a fazer com esta visita. Estou ansiosa! ヅ

Voltando à minha visita:
Mal entrei nesta sala, fui logo arrebatada pelo sentimento puro de euforia de me ver fechada numa sala repleta de livros, novinhos em folha, e não só novinhos em folha em termos de impressão, como novidades fresquinhas, fresquinhas!! EM TODO O LADO!!!

Ia-me dando uma coisa...  Só pensava: "quero ler este, e este, e este, e este.... está decidido, já não volto para casa, vou passar a viver aqui!", mas pronto... Controlei-me bastante bem...
Outra coisa que senti logo, foi o cheiro característico que sinto sempre que entro numa Livraria Betrand. Entro em muitas livrarias e bibliotecas e sítios com livros, mas há sítios que têm cheiros característicos, e esta sala cheira exactamente como as Livrarias Bertrand.

Foi nesta sala maravilhosa onde eu e a Sofia nos sentámos durante um bom bocado a conversar. O tema dominante foram livros, óbvio, mas falámos de tudo um pouco, foi maravilhoso e aprendi tanto!

Fiz umas quantasperguntas, algumas irei partilhar aqui convosco nesta publicação da visita, no entanto estou já a preparar uma entrevista muito interessante para a editora, com perguntas mais específicas, que depois poderão ler quando eu a publicar aqui no blog. Caros leitores, se tiverem perguntas específicas que queriam colocar a editoras, comentem esta publicação, todas as ideias são bem vindas para eu fazer uma excelente entrevista esclarecedora para todos!  ッ

Antes de mais, vou explicar muito leiga e resumidamente a diferença entre um autor e um escritor:
Um escritor é alguém que gosta de escrever, são exemplos de escritores: os cronistas, jornalistas, bloggers, ou qualquer pessoa que pura e simplesmente se projecte para a escrita.
Já um autor é um escritor com obras publicadas.
A partir do momento em que publicam a obra de um escritor, esse escritor torna-se um autor.

Um tema muito interessante que foi explorado por nós as duas: Publicam livros de escritores/autores Portugueses? Os autores/escritores nacionais são tidos em consideração?
- SIM!

A editora tem em consideração TODAS as obras que lhe são enviadas para apreciação e possível publicação. No entanto, há que dar tempo para que a obra seja lida, debatida, todo o processo envolvido seja desenvolvido, no entanto os escritores/autores que enviem as suas obras têm SEMPRE resposta por parte da editora, NÃO SÃO IGNORADOS! Recebem a resposta da recepção da obra, e depois a resposta e/ou proposta.

A chancela Quetzal é, do Grupo Bertrand Círculo, a que publica mais escritores portugueses:
Atualmente, é o selo editorial do GBC que mais publica ficção em língua portuguesa, com uma notoriedade elevada junto dos leitores e dos media, dedicando-se também ao ensaio e outros livros de não ficção.
Agora, temos de ver por outra perspectiva:
Vejo por esta internet/blogosfera/redes sociais/mundo literário fora, imensas queixas de que os escritores portugueses não são tidos em conta, raramente podem viver apenas da publicação de livros, pois as vendas não o permitem. Que apenas "grandes autores" portugueses se safam (ex: José Rodrigues dos Santos), que são explorados, manipulados, até extorquidos, e um sem número de acusações que eu já li até perder a conta... No entanto, depois de falar com tanta gente no mundo literário, especialmente nas bibliotecas, sendo a pergunta principal que eu faço nas minhas visitas (e entrevistas!) é: que tipo de livros são os mais requisitados/procurados?, e a resposta é sempre: as novidades traduzidas, especialmente grandes (e muito publicitados) autores estrangeiros...  

Que oportunidade estamos também NÓS, como leitores, a dar aos escritores e autores portugueses? De que forma ajudamos a incrementar a publicação de livros e o crescimento de autores portugueses?

Neste aspecto, o Grupo Bertrand é excelente, pois apesar de ser a empresa grande e de renome que é, tem os autores nacionais em conta, faz imensos eventos em território nacional, especialmente de apresentação de livros e eventos relacionados com obras publicadas de autores portugueses, investe imenso neles, e por isso é uma editora tão fantástica e querida no meu coração.

Eu própria me acuso: não leio livros de autores portugueses tanto quanto deveria! Detestava a maior parte dos livros portugueses a que era "obrigada" a ler na escola, e isto eu que adoro ler desde muito pequena e sempre fui uma grande devoradora de livros! Os livros sempre foram a minha maior (e em fases muito difíceis da minha vida, a única) companhia, e eu lia imensos livros, mas pura e simplesmente não gostava daqueles a que me "obrigavam" a ler, e assim, sem de dar conta, fui-me afastando do mundo literário nacional. Aqueles livros, era, para mim, "forçados", sem emoção, e depois sentia que eram escritos de uma forma muito artificial, era como se eu estivesse a assistir um filme com péssimos actores, com falas muito forçadas e pouco naturais. Livros desapropriados, mas pronto...
Uma leitura nacional que eu fazia de forma compulsiva (antes de me traumatizarem!) eram os livros "Uma Aventura", "Triângulo Jota", entre outros do género, e como eu adorava aquilo!

No meu 6º/7º ao, já nem sei ao certo (foi lá para os meios dos anos 90), ganhei um concurso na escola em que um número muito limitado de crianças/estudantes que fizesse as melhores perguntas, estilo entrevista, à Sophia de Mello Breyner Andresen, poderia conhecê-la pessoalmente, pois ela iria à escola, para um evento literário.

Pois... Como quem segue aqui o blog sabe, ou há-de ter reparado: eu adoro fazer entrevistas!
Especialmente perguntas muito específicas e originais, daquelas que "não lembra a ninguém", e já nessa altura esta minha capacidade, tinha eu uns 9/10 anos, se manifestava, se destacou e me fez ser uma das vencedoras desse concurso, e assim pude conhecer a Sophia de Mello Breyner Andresen pessoalmente (do que me resta destas memórias, lembro-me que ela era mesmo muito, muito velhinha, muito calma, querida e simpática) e mais: com as perguntas com que ganhei, tive de lhas fazer pessoalmente!
Já na altura eu era assim "espevitada", no entanto ainda me lembro de estar muito acanhada, pois senti que estava na presença de alguém muito importante (e estava!), e a emoção de conhecer a pessoa que escreveu livros que eu li, ali à minha frente, a falar comigo, erra arrebatadora!
Ainda hoje sinto isso, e espero sempre sentir!  ツ

Já tentei procurar na net este evento, mas não encontro nada de relevante... Que pena na altura não termos a mesma facilidade em gravar momentos especiais, como temos nos dias de hoje.
A Sophia de Mello Breyner Andresen era uma rara excepção de leitura "obrigatória" que eu não lia por obrigação, no entanto, eu já lia livros dela antes que me tivesse sido imposto, por isso não se aplica.

Mas verdade seja dita: já viram a maravilhosa quantidade, variedade e qualidade de livros que agora há para os mais novos? O Ler +, Plano Nacional de Leitura, a quantidade de livros interessantes que agora há para ler? No meu tempo não os havia assim... Havia livros maravilhosos, uns que hoje em dia (e na altura) são considerados clássicos, mas de resto... Para o meu gosto... Nem por isso.

Agora é que estamos num tempo em que "leitura obrigatória" não existe, existe é "leitura recomendada" e para ser lida com gosto! Que me dera ter apanhado uma altura assim...
Mas felizmente, eu sou um caso de sucesso, graças à minha mãe, que desde muito muito cedo me incutiu o hábito de leitura, por isso, apesar deste "trauma", eu continuei a devorar livros, simplesmente me virei para a leitura traduzida.
No entanto, conheço muita gente que teve o mesmo "trauma" que eu, e que hoje em dia raramente pegam num livro, e é quando pegam... Mas felizmente as coisas mudaram!

Mas agora, e graças a este meu blog/projecto, estou a dedicar-me cada vez mais a livros de autores nacionais, e ando a ser agradavelmente surpreendida! Podem ler um exemplo disso aqui.
Agora é uma questão de me habituar e descobrir (e conhecer!) autores nacionais maravilhosos!

Nos corredores da editora...
(A Sofia recomenda a leitura do livro "Pussy")!  ッ
Aqui estão os  designers. É aqui onde são criadas as capas dos livros da editora, sendo um trabalho de muita responsabilidade, visto ser tão importante que até se transformou em ditado: "Julgar um livro pela capa".

Eu pessoalmente posso dizer que sou bastante influenciada pela capa, pois normalmente é ela que me cativa para pegar num livro. Quando eu já vou com uma ideia formada de comprar um título/autor específico, não faz tanta diferença, apesar de ser importante, mas quando eu ando simplesmente a ver livros, por exemplo, nas feiras dos livros, novidades ou promoções, seja na loja física ou online, eu sou impelida a pegar em determinado livro pela capa, sem dúvida.

Também fazem outros projectos de design e há uma pessoa que faz os booktrailers!
O booktrailer, ou trailer do livro, tem como função apresentar um livro, normalmente uma novidade literária que vai ser lançada em breve (tal como acontece com os trailers dos filmes que vão estrear nos cinemas), de forma a criar o ambiente emocional que a leitura do livro proporcionará.

Exemplo de um booktrailer:  

Seguindo a visita...
Estes são os livros na versão original, em línguas estrangeiras. Depois decide-se quais serão traduzidos na nossa língua e publicados pela editora e respectivas chancelas.

Ao contrário do que eu pensava, não são traduzidas e publicadas na nossa língua apenas as novidades fresquinhas, acabadas de sair nos países de origem dos autores, a editora pode perfeitamente pegar num livro que foi publicado no estrangeiro à vários anos e decidir publicá-lo. Estão ali a ver na foto livros da Jodi Picoult? Ah, pois, eu reparei logo! São livros que já foram publicados no estrangeiro ao tempo, mas que ainda não nos vieram cair nas mãos traduzidos na nossa língua!

Traduzam e publiquem Bertrand! Por favor!! Muitos!!!
Nós, como leitores, podemos enviar e-mails com sugestões à editora sobre que livros, temas, autores gostaríamos de ver publicados, sabiam?

Contactos Bertrand

O pessoal da editora responde a TODOS os e-mails e contactos, mesmo que não seja (compreensivelmente!) no imediato, mas responde SEMPRE, e isso é muito bom e importante, e tomam em alta consideração a opinião dos leitores, que respeitam acima de tudo!

Sabiam também que, ao lerem um livro da editora (e chancelas), e se derem conta de algum erro de tradução, impressão, algum erro seja de que tipo for, podem (e devemos) enviar um e-mail a informar a editora desse erro, para que possa ser corrigido nas impressões seguintes, e assim estamos nós, leitores, a fazer a diferença na publicação de livros no nosso país?!
Trabalhar rodeados de livros por todos os lados... Imaginam?... ❤
Adorei esta casinha em cartão, tão gira!!
Livros, livros e mais livros por todo o lado! A loucura, a alegria de quem os adora!
Livro lindíssimo de Camões, adoro!

E no final, a foto desta maravilhosa equipa (e eu lá no meio!)!
Da esquerda para a direita: Djaimilia Almeida, Helena Magna Costa, Liliana Carvalho (eu!), Sofia Peralta Lima e Clara Santiago.

Foram umas queridas, do melhor! Muito obrigada, do fundo do coração, pela recepção e simpatia!
E obrigada pelo excelente trabalho que fazem todos os dias, pela vossa dedicação para com a editora, os leitores, os autores (especialmente os portugueses!), obrigada por tudo! ❤

Quando sai, senti que estava a deixar uma parte de mim... Por isso não foi um "adeus", foi um "até à próxima"!  シ
No final, de coração cheio, mas com muita pena de me ir embora, tanto da editora, como de Lisboa, apanhei um autocarro para o sentido inverso ao que tinha feito para lá chegar, o 711 - sentido Terreiro do Paço.
Aqui, estava a despedir-me, um "até breve!" do Rossio do meu coração. Estava a caminho de casa dos meus avós para ir almoçar (comidinha da avó! bem bom!), para depois apanhar o autocarro para Sete Rios, e então apanhar o Expresso para Leiria, terminado assim a visita à minha amada Lisboa, e quase a terminar as minhas tão ansiadas mini-férias...

Mas posso dizer, com todo o coração, que foram dias maravilhosos, conheci e conversei com pessoas encantadoras e inesquecíveis, fui muitíssimo bem recebida por todos, até pelo próprio tempo, porque apesar de nesta semana ter chovido muito, pouquíssima chuva apanhei, pois quando chovia a sério, calhava eu estava dentro de edifícios (monumentos, bibliotecas, livrarias, armazéns Chiado, dentro de casa!), pois nos meus passeios, não apanhei uma única "molha", e ainda apanhei bastante sol, mas isso irei partilhar convosco noutras publicações em breve, pois tenho muito a contar e a partilhar convosco sobre esta minha semana em Lisboa e os vários locais que visitei.

Resumindo, posso dizer que adorei IMENSO conhecer desta forma a Bertrand Editora, e os seus colaboradores, e tenho a dizer-lhes:
Até breve!, obrigada por acreditarem em mim, no meu blog, pelo apoio, pela simpatia, por serem quem são, representam maravilhosamente esta fantástica empresa que é a Bertrand, um ícone! Nome da Livraria mais antiga do mundo, e graças a vocês, pessoal Bertrand, é das melhores editoras do mundo!

Obrigada! ❤

8 comentários:

  1. Adorei o texto e ver a paixão que sentes é espetacular

    ResponderEliminar
  2. Nasci, cresci e vivo em Lisboa, e não vou à baixa/restauradores há tanto tempo que nunca me tinha apercebido de tantas obras :o

    Deve ter sido giríssimo, visitar uma editora, falar sobre livros, estar num sítio onde se trabalham livros, e conhecer as meninas da comunicação da editora, que são sempre tão simpáticas! Que sorte :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi maravilhoso, e a simpatia de todos foi o melhor! :D

      Realmente, Lisboa está com muitas obras, o que é bom, pois quando terminarem vai ficar ainda mais linda, sem dúvida! <3

      Eliminar
  3. Leitura fácil e engraçada. Obrigada Liliana por este momento de conhecimento da editora Bertrand =D Adorei, muito especifica, parecia que também eu estava a viajar contigo. Continua assim, beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelas palavras, querida amiga, era mesmo isso que eu pretendia, que se sentissem lá comigo conforme fossem lendo o texto e vendo as fotos! :D

      E obrigada pela apreciação do texto, já fiz os "ajustes" no texto para ficar ainda mais informativo relativamente às terminologias menos conhecidas, agora já está tudo ainda mais detalhado e informativo ;)

      Espero que mais pessoas aprendam algo com esta publicação! :D

      Eliminar
  4. Que interessante!
    A Bertrand é uma editora que sempre gostei, visitá-la deve ser tão interessante, nem sabia que o era possível fazer. Mas diz-me lá: qual é a sensação de estar do outro lado?
    Boas leituras.
    - Mad (http://presa-nas-palavras.blogspot.pt/)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Teve de ser bem muito combinado e antecipado, e foi uma honra muito grande para mim tal me ser permitido, pois não é algo aberto ao público em geral, pois apesar de tudo, não deixa de ser o local de trabalho daquele pessoal simpático... :)

      A sensação é, absolutamente: de reverência... <3

      Eliminar

★ Todos os comentários são muito importantes, são o que dão vida a este blog. Obrigada por comentar e assim fazer parte deste espaço! ★
↧↧ ↧↧ ↧↧
✉ Para receber a minha resposta, clique ✔ em Notificar-me ☑